Marquês de Sapucaí canta as belezas e a riqueza da identidade cultural de Corumbá

Marquês de Sapucaí canta as belezas e a riqueza da identidade cultural de Corumbá

Marcelo Fernandes 24 de fevereiro de 2020

A Marquês de Sapucaí, em seu desfile na passarela do samba, apresentou o enredo “Corumbá identidade Cultural sem igual”. A escola se propôs a reforçar o sentimento de pertencimento dos corumbaenses através de uma visão histórica que, de acordo com a própria escola de samba, nunca foi contado para os jovens nos dias de hoje.

O desfile contou os 241 anos de Corumbá, e detalhou cada período da história da cidade, desde sua fundação no emblemático 21 de setembro. Apresentou as guerras que aconteceram, falou de duas santas importantes que são Nossa Senhora do Carmo e Nossa Senhora do Pantanal.

A escola mostrou o carnaval, a cultura, contou os causos do Minhocão e do Frei Mariano e da fábrica de cerveja que já existiu aqui na cidade. Ainda mereceram destaque a religiosidade, as festas, como o São João e o próprio Carnaval, sem esquecer episódios históricos como a Guerra do Paraguai.

O enredo veio dividido em quatro setores. No primeiro, a escola de samba falou da miscigenação. No segundo setor abordou os povos que aqui vieram, a exemplo de palestinos, árabes e libaneses que, com seus costumes, enraizaram suas tradições no município pantaneiro.

No terceiro setor, a agremiação trouxe o Pantanal e o rio Paraguai. A visão fugiu dos elementos flora e fauna, apresentou aquilo que emerge de cultura nesses dois pontos. No último setor, a Marquês irá mostrou o Carnaval e o classificou como uma das maiores festas culturais do corumbaense.

Relacionados