“Fazer o exame preventivo salvou minha vida”, relata o Sr. Ari, que venceu o câncer de próstata

Uglaybe Farias 26 de novembro de 2019
“Fazer o exame preventivo salvou minha vida”, relata o Sr. Ari, que venceu o câncer de próstata

Conhecido por “Seu Ari”, Ariosvaldo de Oliveira, de 74 anos, venceu um câncer de próstata há 11 anos. “Já fazia 3 anos que eu fazia o exame preventivo, e sempre dava negativo, até que um dia, em 2008, deu positivo e descobri que estava com câncer de próstata”.

O exame preventivo que seu Ari se refere é o PSA – antígeno prostático, um exame de sangue que detecta alterações específicas da próstata. O resultado, quando alterado, pode indicar situações como inflamações, infecções, hiperplasia (crescimento benigno) e também o surgimento do câncer de próstata.

Casado, e com duas filhas, Ari conta que foram momentos difíceis, “eu e minha família ficamos muito preocupados, houve momentos que fiquei até meio perdido, sem esperanças, até que recebi a visita de um sobrinho que me ajudou muito”.

O câncer de próstata, na maioria dos casos, cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem, como relata seu Ari, “Eu não tinha dor ou qualquer outro sintoma, o câncer estava muito no início, mas eu tive o privilégio de chegar antes. Minha cirurgia não foi a laser, tiveram que ‘cortar’ mesmo para fazer a retirada da próstata”. Mas em outros casos, pode crescer rapidamente, se espalhar para outros órgãos e causar a morte. Esse efeito é conhecido como metástase.

Embora seja aposentado, Seu Ari, trabalha como motorista na já faz 16 anos, na Secretaria Especial de Cidadania e Direitos Humanos de Corumbá, “eu me sinto muito bem, nunca mais tive nada, mas todos os anos, em julho, faço o exame de PSA, para ver está tudo bem”.

Segundo dados do Ministério da Saúde, somente no ano passado, estima-se o aparecimento de 68.220 mil novos casos da doença no país. Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto.

“É a vida da pessoa, temos que nos cuidar, fazer os exames necessário, hoje estou curado”, conta seu Ari.

Onde e quando fazer o exame

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem procurar uma unidade de saúde para serem encaminhados para o especialista, o urologista.

Conheça os fatores de risco

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:

  • Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.
  • Histórico de câncer na família: homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco.
  • Sobrepeso e obesidade: estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

Entre os fatores que mais ajudam a prevenir o câncer de próstata estão:

  • Ter uma alimentação saudável.
  • Manter o peso corporal adequado.
  • Praticar atividade física.
  • Não fumar.
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Sinais e sintomas do câncer de próstata

Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas e, quando apresenta, os mais comuns são:

  • dificuldade de urinar;
  • demora em começar e terminar de urinar;
  • sangue na urina;
  • diminuição do jato de urina;
  • necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Como se prevenir

Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.