Com liberação dos salários e cota natalina, comércio vislumbra final de ano positivo em Corumbá

Com liberação dos salários e cota natalina, comércio vislumbra final de ano positivo em Corumbá

Marcelo Fernandes 24 de dezembro de 2019

A expectativa de movimentação econômica superior a R$ 40 milhões do comércio corumbaense no Natal e Ano Novo – apontada por levantamento realizado pelo Sebrae/MS e o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio (IPF/MS) – é reforçada pela liberação de mais de R$ 37 milhões só com pagamentos das folhas salariais dos servidores da Prefeitura Municipal de Corumbá.

Em menos de 30 dias, a Prefeitura de Corumbá liberou o pagamento de novembro; o 13º salário; a Cota-Alimentação Natalina. O salário de dezembro vai ser pago até o dia 30 deste mês, completando mais de 37 milhões de reais, líquidos, injetados diretamente na economia local nesse período de final de ano.

A estimativa da Associação Comercial e Empresarial de Corumbá (ACIC) para esse período de festas de fim de ano, em função da liberação em dia do pagamento do funcionalismo municipal é positiva, apontou Lourival Vieira Costa, presidente da instituição. “É fundamental para o comércio. A Prefeitura pagou novembro antes do final do mês e antecipou o 13° salário. É significativo ter antecipado, porque as pessoas que viajam e recebem o 13° em cima da hora, muitas vezes viajam e não gastam esse recurso em Corumbá. Essa antecipação, com certeza, trouxe resultados positivos para o comércio”, disse o dirigente empresarial.

Ele também destacou a importância de o Município pagar em dinheiro a Cota-Alimentação Natalina para cada servidor público municipal. Somente com o pagamento de R$ 100 para cada um dos funcionários públicos – em razão da Cota-Alimentação Natalina, com base na Lei Municipal 2005/2007 –, a Prefeitura fez um investimento de R$ 424.400,00 (quatrocentos e vinte e quatro mil e quatrocentos reais) na economia local.

“Esses mais de 420 mil reais da Cota-Alimentação Natalina se configura em uma atitude de se elogiar. Foi uma iniciativa do prefeito Marcelo Iunes que acabou beneficiando o comercio local. Se faz uma licitação para adquirir a cesta e uma empresa de fora ganha, esse dinheiro vai embora. Sem contar que pode ter produto que a pessoa não queira. Estando com esse dinheiro, a pessoa escolhe o que deseja e o dinheiro fica na cidade, no comércio local, gera impostos e acaba retornando ao Município”, afirmou Lourival Costa.

O presidente da ACIC enfatizou que a liberação salarial ajuda o comércio corumbaense a se recuperar das três semanas em que a fronteira boliviana ficou fechada. Os bolivianos movimentam fortemente a economia da cidade. “Ainda estamos nos recuperando dos 21 dias de fronteira fechada, houve um impacto negativo neste período. Com o Natal, estamos recuperando esse prejuízo. A Prefeitura, ao liberar os salários, ajuda nesse sentido da recuperação”, completou.

Secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, André Campos, destacou ser fundamental o dinheiro circular na economia. “À medida que esse dinheiro circula, gera impacto positivo na cidade e permite também atração de novos empreendimentos”, observou. Campos ressaltou que, não apenas os salários, mas a Cota-Alimentação Natalina resulta em impacto positivo no comércio corumbaense.

“Essa situação da Cota Natalina é louvável. Ao invés de o dinheiro ficar com uma pessoa [empresa] de fora de Corumbá, o dinheiro fica aqui e circula na cidade. De alguma forma, vai voltar na arrecadação para a Prefeitura. Movimenta o comércio local, gera emprego. A Prefeitura está de parabéns por essa atitude”, argumentou. “É a gestão sendo feita de forma técnica e isso favorece ao comércio. Temos notícias de estados e municípios que ainda estão tentando pagar o 13° referente ao ano de 2017. Em um momento muito difícil, de muita crise, vemos que dentro da nossa cidade o prefeito está pagando as contas e olhando com muito carinho para o comércio”, finalizou o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico e Sustentável.

Relacionados