Aumento de casos do Coronavírus no Brasil deixa Corumbá em alerta

Natalia Leal Capille Serra 13 de março de 2020
Aumento de casos do Coronavírus no Brasil deixa Corumbá em alerta

Apesar de Corumbá não ter registrado um caso suspeito do Novo Coronavírus, o município está em alerta.

O Secretário de Saúde, Rogério Leite explica “há uma projeção de um grande aumento de casos no Brasil, e que deve chegar a Corumbá, já capacitamos a nossa rede e estamos alertas. Não há motivo para pânico, pedimos para que não compartilhem boatos ou notícias falsas, isso só prejudica”.

O Ministério da Saúde esclarece que postos de saúde espalhados pelo país são capazes de atender 90% dos casos de coronavírus. Estudos indicam que a grande maioria dos casos de Covid-19 são mais leves e poderiam ser atendidos nesse nível de atenção. A população pode buscar os serviços quando apresentar os sintomas iniciais do vírus, como febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza. Além de evitar algomeração em massa.

O Prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes escalare que “ainda não temos um caso suspeito na nossa cidade. No momento não há recomendação para suspensão de aulas ou algo do tipo, o setor técnico da Vigilância está monitorando os dados e  estão trabalhando junto com a rede de saúde estadual e nacional”.

“Solicitamos que a população tome os cuidados necessários, como lavar as mãos; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos; evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais e os demais medidas gerais de prevenção”, complementou o Chefe do Executivo Municipal.

No início da doença, não existe diferença quanto aos sinais e sintomas de uma infecção pelo coronavírus em comparação com os demais vírus. Por isso, é importante ficar atento às áreas de transmissão local. Para um correto manejo clínico desde o contato inicial com os serviços de saúde, é preciso considerar e diferenciar cada caso. Os casos graves serão encaminhados o Hospital para isolamento e tratamento.

Antes mesmo de surgir um caso no Brasil, Corumbá já tomava medidas visando fortalecer a Vigilância na região, principalmente pelo fato se sermos uma região de fronteira. No início de fevereiro foi feita uma reunião com diversos órgãos que atuam na fronteira, como a PF, Agesa, Anvisa, Marinha e Agência Portuária, depois realizamos outra com a equipe de Vigilância do Estado.