Corumbá abre ações da Semana Municipal de Combate ao Feminicídio

A “Semana Municipal de Combate ao Feminicídio” foi aberta na manhã desta segunda-feira, 1° de junho, em Corumbá. A abertura aconteceu com a realização de uma live na página da Prefeitura Municipal no Facebook. As atividades vão até sexta-feira, dia 05, por meio de entrevistas nos órgãos de imprensa da cidade, bem como via Internet, com lives nas redes sociais.

A transmissão ao vivo teve como tema “Secretaria Especial de Cidadania e Políticas Públicas abrangendo os aspectos da violência contra a mulher”. Participaram a secretária Especial de Cidadania e Políticas Públicas, primeira-dama Amanda Balancieri Iunes; Wânia Alecrim (coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres) e Jane Contu (assessora executiva da Secretaria de Cidadania).

“Temos uma série de políticas que visam atendimento à mulher. Dentro da Secretaria temos a Coordenadoria das Mulheres, que trabalha com ações para que as mulheres melhorem sua autoestima, escolaridade e profissionalização. A mulher que conhece politicas públicas, se fortalece”, observou a assessora executiva da Secretaria Especial de Cidadania e Políticas Públicas, Jane Contu.

Coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres, Wânia Alecrim, ressaltou que a Secretaria disponibiliza, no site da Prefeitura, um link com os telefones e endereços dos órgãos e entidades que compõem a rede de enfrentamento à violência contra a mulher. “Trabalhamos em articulação com a Polícia Militar, Delegacia da Mulher, Conselho da Mulher e Secretarias Municipais, todas têm atuação importante na nossa rede. O crescimento de ações e leis contribuiu para o enfrentamento. Corumbá recebeu o título de Prefeitura Amiga da Mulher. Estamos conseguindo chegar às mulheres e dar acesso aos serviços de saúde, assistência, educação e a rede de enfrentamento”.

Amanda Balancieri Iunes destacou o trabalho da Secretaria Especial de Cidadania e Políticas Públicas no acolhimento às mulheres vítimas de violência. “Temos uma rede de enfretamento que pode ser acessada antes até de registrar boletim de ocorrência. Estamos sempre à disposição. Trabalhamos da conscientização ao acolhimento através do CRAM, a questão psicossocial da vítima e, havendo necessidade, encaminhamos para a rede de proteção. Não deixamos desamparadas”, disse a primeira-dama e secretária Especial de Cidadania e Políticas Públicas.

“Em Mato Grosso do Sul são 16 feminicídios em 2020; dezesseis famílias foram desestruturadas. Denunciem, não fiquem quietos. Recebendo a denúncia, nossas equipes vão até essa mulher, queremos romper esse ciclo de violência. Nossa equipe está preparada para atender, temos 334 casos com medidas protetivas em Corumbá, a Patrulha Maria da Penha está acompanhando. Estamos para ajudar, acolher e garantir que vivam sem violência”, finalizou Amanda.

A “Semana Municipal de Combate ao Feminicídio”, instituída pela Lei n° 2.705, de autoria do vereador e presidente do Poder Legislativo, Roberto Façanha, sancionada pelo prefeito Marcelo Iunes em 14 de novembro de 2019.

Programação

Nos próximos dias, as lives acontecerão sempre às 18 horas, com transmissão pelo Portal Zoom (aplicativo ZOOM Cloud Meetings). Na terça, dia 02 de junho, o tema em debate será “Aspectos práticos no Enfrentamento à Violência contra a Mulher”, com a professora e doutora Claudia Araújo; o tenente-coronel Massilon de Oliveira Silva Neto, comandante da PM, e a delegada da Mulher, Tatiana Zingier e Silva.

No dia 03, quarta, será com o advogado da OAB de Corumbá, Roberto Lins. Na quinta, 04, o tema focado será o “O Papel da Rede no Combate ao Feminicídio”, com o presidente da Câmara, Roberto Gomes Façanha; Andreia, da Patrulha Maria da Penha; Arlene de Carvalho Inez, do Conselho Municipal da Mulher, e Wânia Alecrim de Lima, da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres, além de representante do CRAM.

O encerramento será na sexta, dia 05, com o tema “Feminicídio – Invisibilidade Mata”, com participação de Samara Yasser Yassine Dalloul, do  2º Ofício (Tutela Coletiva, Cível e Criminal), e a professora Claudia Araújo, da UFMS.