Imperatriz Corumbaense conta a história centenária de Dona Maninha

A G.R.E.S. Imperatriz Corumbaense abre a segunda noite de desfiles na segunda-feira, 24 de fevereiro, contando os 100 anos de Dona Maninha, uma costureira que se dedicou a ajudar os leprosos. A escola apresenta o enredo “Dona Maninha, a nossa Imperatriz e seu centenário”, que foi escrito pelo autor Vitor Rafael.

“A nossa escola contará a história de Dona Maninha, mostrando a passagem pelo presidente Epitácio, o final da Guerra, a nascia à empresa FORD, os almoços de família que aconteciam na fazenda laranjais, do seu casamento até chegar ao aniversário do centenário dela”, explicou o presidente da escola Viktoria Lorrayna.

O mestre de bateria é Ninho, que vai contar com 70 ritmistas para tocar o samba-enredo acompanhado pela rainha de bateria, Ana Paula Martines, que vão animar as 600 pessoas que desfilam na escola. O mestre-sala e a porta-bandeira são Robert e Lu da Imperatriz.

FICHA TÉCNICA

Presidente: Clemilson Pereira Medina (Viktoria Lorrayna)

Carnavalesco: Jonilson Aguelho

Diretor Geral de Carnaval: Geraldo Albaneze e Rogério Santos

Enredo: “Dona Maninha, a nossa Imperatriz e seu centenário”

Autores do Samba Enredo: Victor Raphael

Mestre de Bateria: Mestre Ninho

Interprete Oficial: Xandão do Cavaco

Rainha de Bateria: Ana Paula Martines

Mestre Sala e Porta Bandeira: Robert da Imperatriz e Lu da Imperatriz

Ritmista: 70

Alas: 13

Componentes: 600

Carros Alegóricos: 04

Cores: BRANCO, VERMELHO, AMARELO E VERDE;

Fundação: 22 de fevereiro de 2007

**Texto: Vivian Kelly

**Foto: Gisele Ribeiro/PMC