Com oficinas, batalhas e graffitis, cultura de rua ganha destaque no FASP 2019

Abraçando diversas formas de expressão que destacam a originalidade da cultura de rua, o Festival América do Sul Pantanal (FASP) traz para Corumbá a temática Mostra Rua, com execução de graffiti profissional ao vivo, show instrumental com videomapping, batalha de rap, cypher de breaking e oficinas de: passinho, produção de videoclipe e narrativas artísticas e literárias.

Graffiti

Parte da programação do Mostra Rua, o público poderá acompanhar a construção dos graffitis das artistas Anis (Chile) e Crica Monteiro (Brasil). Cada uma representando seu país, suas cores, culturas, símbolos e significados.

A chilena inicia sua arte já na segunda-feira, dia 11 de novembro, no quintal do Instituto Moinho Cultural. Já Crica Monteiro começa a grafitar na quinta-feira, dia 14, no Espaço Oficina de Dança de Corumbá.

Batalha do Porto

Representando a “voz da quebrada” no Festival, a tradicional Batalha do Porto é sem dúvidas um dos encontros mais esperados pelos que apreciam a arte das periferias. Tudo começou em brincadeiras de amigos, em praças na parte alta de Corumbá. Depois dos “rolês” de skate, alguns jovens da cidade se reuniam no Porto Geral para cantar algumas músicas inventadas na hora, aguçando a criatividade e a diversão entre si. Mas, há três anos, a brincadeira ficou séria, juntou outros bairros e logo virou um encontro de ideias e manifestações, um templo de rua, uma espécie de púlpito onde tudo o que foi silenciado, se faz ouvir entre semelhantes.

Hoje, a Batalha do Porto é um selo, um coletivo de arte de rua que acontece todos os domingos, nas margens do Rio Paraguai. A edição especial agregada ao Festival América do Sul Pantanal será no mesmo local, às 17h do dia 17 de novembro.

O que vai rolar: Batalha de rap, cypher de breaking, pocket show Vini Revolt e Pocket Show Fét. O microfone também ficará aberto para quem quiser declamar poesias.
Uma das novidades da Batalha do Porto será o show da banda 
VideoSonic, mostrando a importância da utilização de espaços públicos por artistas.

O trio instrumental experimental utiliza projeções mapeadas (videomapping) como forma de interação com o público. Ali na mesma área será apresentado o resultado da oficina de passinho e da oficina de narrativas artísticas e literárias “Quem tá na rua sabe”, além da exibição do videoclipe produzido na oficina do Mostra Rua.

Oficinas

De 11 a 17 de novembro os dançarinos DG Fabulloso e GN Fabulloso vão ministrar a Oficina Criativa de Passsinhos, ensinando a construir pequenas células coreográficas com passos de base, propondo a potencialização da criatividade dos participantes juntos aos ministrantes.  O Passinho é uma linguagem de movimentos e gestos que acrescentou virtuosismo estético e técnico ao funk com influências do frevo, samba, e outras linguagens de danças urbanas. Horário e vagas: 11 a 13/11 das 18h às 21h e de 14 a 17 das 13h às 16h, com 30 vagas.

Também nos mesmos dias, de 11 a 17, a Oficina de Videoclipe vai levar aos alunos a experiência de realização de um videoclipe analisando as possibilidades narrativas pela imagem em diálogo com a música e contexto de sua mensagem. Vindos de Belo Horizonte (MG), os cineastas e produtores de audiovisual Marcelo Lin e Robert Michael vão apresentar conceitos básicos de produção audiovisual perpassando pela construção de roteiro, planejamento de filmagens, narrativa fílmica e edição de imagens. Com apenas 25 vagas, a oficina acontece no Instituto Moinho Cultural, das 8h às 18h.

Nos dias 15 e 16 de novembro, a oficina Quem tá na rua sabe – protagonistas do cotidiano [Rio de Janeiro/RJ], vem trazer narrativas artísticas e literárias de Carolina de Jesus aos Racionais, da poesia à crônica do dia a dia.

Ministrada por Wagner Assen, professor de literatura, filosofia e sociologia, a oficina será produzida em duas etapas. Uma com textos escolhidos manufaturados e depois a “poesiajunta” (vídeo documentário de poesias e declamações de slam). Com 30 vagas disponíveis, ela acontece no Instituto Moinho Cultural das 9h às 12h e das 14h às 17h. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail: audiovisual.fcms@gmail.com.

 

PROGRAMAÇÃO MOSTRA RUA

MOSTRA RUA – GRAFFITI

Visitação de 14 a 17 de novembro

Graffiti da Anis do Chile

Local: Instituto Moinho Cultural. Rua Comendador Domingos Sahib, 300 – Porto Geral

Horário: das 8h as 18h

Graffiti da Crica Monteiro

Local: Espaço Oficina de Dança de Corumbá. Rua Antônio João N°90 – Centro

Horário: das 8h às 21h

MOSTRA RUA – LITERATURA

Oficina “Quem tá na rua sabe – protagonistas do cotidiano” [Rio de Janeiro/RJ]
Ministrante: Wagner Assen, professor de literatura, filosofia e sociologia

Data: 15 e 16 de novembro, com apresentação do resultado na Batalha do Porto dia 17 de novembro

Horário e vagas: 9h às 12h e das 14h às 17h – 30 vagas

Carga horária: 12h

Local: Instituto Moinho Cultural. Rua Domingos Sahib, 300 – Porto Geral

Inscrições e informações: audiovisual.fcms@gmail.com e (67) 99253-5955

MOSTRA RUA – DANÇA

Oficina Criativa de Passinho

Ministrantes: dançarinos DG Fabulloso e GN Fabulloso

Data: 11 a 17 de novembro

Horário e vagas: 11 a 13/11 das 18h às 21h e de 14 a 17h das 13h às 16h – 30 vagas

Carga horária: 20h

Local: Espaço Oficina de Dança de Corumbá. Rua Antônio João N°90 – Centro

Inscrições e informações: audiovisual.fcms@gmail.com e (67) 99253-5955

MOSTRA RUA – AUDIOVISUAL

 Oficina de Videoclipe [Belo Horizonte/MG)

Ministrantes: Marcelo Lin e Robert Michael, Cineastas e Produtores Audiovisuais

Data: 11 a 17 de novembro

Horário e vagas: 8h às 18h – 25 vagas

Carga horária: 60h

Local: Instituto Moinho Cultural. Rua Comendador Domingos Sahib, 300 – Porto Geral

Inscrições e informações: audiovisual.fcms@gmail.com e (67) 99253-5955

MOSTRA RUA – BATALHA DO PORTO

Atrações:
Batalha de Rap

Cypher de Breaking

Pocket Show Vini Revolt

Pocket Show Fét

Resultado da Oficina “Quem tá na rua sabe”

Resultado da Oficina de Passinho

Exibição do videoclipe produzido na oficina do festival

Vidosonic-Show instrumental experimental com projeções mapeadas em vídeo

Data: 17 de novembro

Horário: A partir das 17h

Local: Tenda Rio Paraguai – Porto Geral

Texto: Alexander Onça

Publicado: Fundação de Cultura de MS