Em reforma, rodoviária intermunicipal homenageia ex-prefeito de Corumbá

A partir deste sábado, 21 de setembro, aniversário de 241 anos de Corumbá, a rodoviária intermunicipal da cidade, localizada na rua Porto Carreiro, passa a chamar-se Rodoviária Fadah Scaff Gattas, uma homenagem do prefeito Marcelo Iunes ao ex-prefeito corumbaense, falecido em 2008.

A Lei 2.694 foi assinada na noite dessa sexta-feira, 20, durante o ato de governo que contou com a presença da viúva do dr. Fadah,  Luiza Carmem Gonçalves de Oliveira Gattass. “É uma emoção sem tamanho estar aqui recebendo essa homenagem”, destacou dona Luiza, sem conseguir conter as lágrimas.

“Sempre que venho a Corumbá sou muito bem recebida. E sei que isso é por causa do Fadah, por causa do que ele fez aqui. Isso me emociona demais. Quero agradecer ao prefeito Marcelo, ao presidente da Câmara, meu amigo Façanha, e todos os vereadores que aprovaram mais essa homenagem”, completou.

O prefeito Marcelo Iunes destacou a importância do ex-prefeito para o desenvolvimento da cidade e lembrou que a rodoviária está sendo reformada pela Prefeitura. “Estamos investindo R$ 227 mil reais no local para receber melhor nossos turistas e também os nossos munícipes”, enfatizou o chefe do Executivo municipal.

Além de adequações gerais, pintura e revisão do teto, a rodoviária Fadah Scaff Gattas ainda vai receber modernos totens com informações turísticas e um sistema de videomonitoramento, o que aumenta também a segurança dos usuários.

“Foi o prefeito Fadah quem recebeu essa rodoviária do ex-governador Wilson Barbosa Martins. Nada mais justo agora ele emprestar seu nome a ela. E nem todas as homenagens seriam suficientes para agradecer o que ele fez pela cidade, comentou o presidente da Câmara, Roberto Gomes Façanha, que representou o Legislativo no ato.

A Lei Municipal 2.694 foi publicada no DIOCORUMBÁ dessa sexta-feira, 20 de setembro.

História

Fadah Gattas foi nomeado para o cargo de prefeito em seu primeiro mandato uma vez que, nas eleições de 1982, Corumbá ainda era considerada uma “área de segurança nacional” sem a realização de eleições para prefeito. Depois de interromper o mandato para se lançar como deputado constituinte, voltou à Prefeitura após vencer as eleições de 1988.

Terminado o seu segundo mandato, em 1992, Fadah optou por abandonar a vida pública e se dedicar ao ambiente de negócios agropecuários e à Academia Corumbaense de Letras, onde escreveu e publicou contos literários.

Formou-se médico na Universidade do Brasil, que hoje é a Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1945. Foi médico sanitarista nos portos e aeroportos localizados nas fronteiras do Brasil de 1951 a 1981, sobretudo na cidade de Corumbá e também em Ladário, no Mato Grosso.

Atuou no Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Empregados em Transportes e Cargas (IAPETEC), depois incorporado ao Instituto Nacional da Previdência Social (INPS). Foi médico credenciado em Cirurgia Geral no INPS na seção de Acidentes do Trabalho e Assistência Médica.

Médico especializado e pós-graduado, atuou como presidente da Liga Árabe de Corumbá. Foi casado duas vezes. A primeira com a artista plástica Marina Sadi Gattass, com quem teve os filhos Ricardo, Sérgio e Marcelo. Posteriormente casou-se com Luiza Carmem Gonçalves de Oliveira Gattass, com quem não teve filhos.

Faleceu no dia 3 de junho de 2008, aos 87 anos de idade, na Santa Casa de Campo Grande. O prefeito de Corumbá, médico e pecuarista foi vítima de falência múltipla dos órgãos. O corpo foi velado no Sindicato Rural da cidade.