Centro Boliviano fortalece integração para festa da Virgem de Urkupiña

O convite para a festa que vai celebrar Nossa Senhora de Urkupiña – padroeira da integração nacional boliviana – foi entregue ao prefeito Marcelo Iunes. Embora a data da Santa seja celebrada em 15 de agosto, a comunidade boliviana radicada em Corumbá fará a comemoração no domingo, 25 de agosto.

 

Ao formalizar o convite ao chefe do Executivo Municipal, Jimmy Antezana Rojas, presidente do Centro Boliviano-Brasileiro Beneficente, Cultural e Recreativo 30 de Marzo, destacou o caráter de integração cultural e até mesmo religiosa entre corumbaenses e moradores das cidades fronteiriças de Puerto Quijarro e Puerto Suárez que a celebração proporciona.

 

“Nosso povo busca a integração Brasil-Bolívia, somos cidades gêmeas. Não há barreiras na fronteira entre Quijarro, Puerto Suárez e Corumbá”, disse o presidente do Centro 30 de Marzo. A festa, que tem entrada franca, será na praça Nossa Senhora de Urkupiña – que fica na esquina das ruas Edu Rocha e Cuiabá – e começa às 10 horas com missa. A programação cultural prevê atrações musicais e danças folclóricas.

 

O prefeito Marcelo Iunes agradeceu o convite e destacou a forte integração existente entre os povos de Corumbá das cidades bolivianas que fazem fronteira com o município. O chefe da Casa Civil da Prefeitura, Luiz Antônio da Silva, e o líder comunitário para integração dos povo de Puerto Quijarro e Corumbá, Jimmy Antezana Ayala.  


A história

 

Os festejos da Virgem de Urkupiña (que em quechua significa “já está no céu”) são originários da cidade de Quillacollo, no estado de Cochabamba. Contam que na época colonial, uma pequena menina ajudava a seus pais pastoreando ovelhas. Certo dia apareceu para a pastorinha uma formosa e deslumbrante senhora que carregava em seus braços um menino, a qual se converteu em sua amiga.

 

Para a menina o conversar com a senhora, e brincar com o menino, converteu-se em algo natural. Ao chegar a sua casa, contou aos seus pais sobre a bela senhora; que surpresos ouviram a sua filha relatar a forma em que “a senhora” apareceu.

 

Os pais da pastorinha estranharam e compartilharam o fato com o sacerdote da paróquia e alguns vizinhos, quem decidiram verificar a veracidade do relato da menina. Um dia 15 de agosto, de surpresa, apareceram os pais e alguns vizinhos no lugar onde a menina pastoreava suas ovelhas. Grande foi a surpresa quando viram a pastorinha acompanhada da Senhora e seu filho. O assombro e incredulidade se apoderaram da gente, quando viram que lentamente a senhora e o menino começaram a subir aos céus.

 

Nesse lugar, construiu-se o templo da Virgem, que desde aquela época é venerada pelo povo boliviano. Atualmente se levou a imagem ao templo Matriz de Quillacollo até onde chegam peregrinos de toda Bolívia para adorar à Virgem Maria de Urkupiña, patrona da integração Nacional. Com informações do site Bolívia Cultural.