1º Concurso de Redação 18 de Maio premia estudantes da Rede Pública

O 1º Concurso de Redação 18 de Maio premiou nesta sexta-feira, 17 de maio, os vencedores das categorias Narração e Dissertação. A atividade reuniu estudantes da Rede Pública de Corumbá e teve o tema “proteja nossas crianças e adolescentes”.

 

A premiação foi realizada na casa dos Conselhos. A secretária municipal de Assistência Social, Glaucia Antonia Fonseca dos Santos Iune, representou o prefeito Marcelo Iunes no evento, promovido pelo Conselho Tutelar de Corumbá, em parceria com o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e a Prefeitura.

 

A coordenadora do Conselho Tutelar, Kamila Castelo, o presidente do CMDCA, Milton de Souza, e a psicóloga Suzete dos Santos Bezerra, representando o Ministério Público, também participaram da cerimônia.

 

Na categoria narração, o primeiro lugar ficou com Luiza Vianna, aluno da Escola Municipal Barão do Rio Branco. Augusta Cauã, do Rotary Club, ficou em segundo e Eduardo José da Costa, da Escola Municipal Cássio Leite de Barros, em terceiro.

 

Na categoria dissertação, o primeiro lugar ficou com Ariel Henrique Vieira, da Escola Municipal Pedro Paulo de Medeiros. Maria Eduarda Souza Helps, da Escola Municipal Cassio Leite de Barros, foi a segunda colocada e Rafaella Louise Gomes, da escola Júlia Gonçalves Passarinho, foi a terceira.

 

A atividade faz parte das atividades de mobilização referente ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O concurso foi destinado a alunos do ensino fundamental e ensino médio das escolas públicas do município de Corumbá, tendo com objetivo de mobilizar e sensibilizar crianças e adolescentes, por meio da produção escrita sobre o grave problema social que é a violência sexual contra crianças e adolescentes de modo a orientar os estudantes e incentivá-los a denunciar quem pratica este tipo de violência.

 

Dia Nacional

 

18 de Maio é o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente foi criado pela Lei nº 9.970, de 2000, em razão do crime que comoveu o Brasil, ocorrido na cidade de Vitória, capital do Espírito Santo, em 1973. Naquele ano, a menina Araceli Cabrera Crespo, de oito anos, foi espancada, violentada e assassinada.

 

Os culpados pelo crime não foram punidos. A criação desta data teve como intuito mobilizar os diferentes setores da sociedade, dos governos e da mídia para a formação de uma forte opinião pública contra a violência sexual de criança e adolescente.

 

A intenção é estimular e encorajar as pessoas a denunciarem/revelarem situações de violência sexual, bem como criar possibilidades e incentivos para implantação e implementação de ações de políticas públicas capazes de fazer o enfrentamento ao fenômeno, no âmbito do combate à impunidade e de proteção e promoção às pessoas em situação de vítimas ou vitimização, conforme estabelece o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente.

 

 Em 2019 completa 19 anos do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes.  Ao longo desses 19 anos de mobilização, acompanhamos a adesão voluntária da sociedade em torno dos “18 de Maio”, por meio de caminhadas, audiências públicas, debates nas escolas, exibição de filmes, realização de seminários, oficinas temáticas de prevenção à violência sexual, panfletagem, campanhas nas rádios e entrevistas com especialistas, entre outras ações.