Caprichosos mostra história de Albuquerque e agita General Rondon

Terceira escola a desfilar na passarela do samba, a Caprichosos de Corumbá contou a história do distrito de Albuquerque, com o enredo “Albuquerque, o paraíso é aqui”. Na avenida, os 700 componentes da agremiação mostraram que o lugar dispões de um rio de água doce e cristalina com farturas de peixes; belezas naturais abundantes e a manifestação cultural e religiosa que se expressam pela fé em Nossa Senhora da Conceição e na tradicional Festa do Divino.

 

Logo em sua Comissão de Frente, a escola trouxe ‘os guardiões do rio sagrado’. Os 11 componentes representaram o rio de água doce e cristalina com farturas de peixes e a missão de preservar e cuidar desse cenário.

 

Carro abre-alas ‘Rio de águas cristalinas que gera renda e o pão de cada dia’ exaltou que o rio é fonte de renda de uma comunidade, rio de água cristalina onde as espécies de peixes se reproduzem com farturas. Esse rio que é cuidado por seu criador. Os pescadores que com a pesca tiram o sustento da família.  

 

Tripé ‘ Pé de bocaiuva’ lembrou um marco do distrito de Albuquerque. Diz a lenda popular que essa maravilha, tem um ponto de divisão do novo e antigo distrito. Com seu brilho sem igual a bocaiuveira é um símbolo natural na região.

 

Em alegoria, agremiação exibiu ‘Revoada das araras no pantanal rico de flora e fauna’. Com o símbolo da escola, carro veio coreografado com as araras e o magnífico mundo dos animais e plantas de uma vasta e rica fauna e flora.

 

Desfile da Caprichosos destacou Nossa Senhora da Conceição. Padroeira do distrito, mãe e protetora, Conceição é sinônimo de concepção da mãe de Jesus, sem mancha do pecado original. Festa em 8 de dezembro é um dogma da igreja. Santa que te ajuda a libertar de qualquer problema.

 

Escola lembrou a guerra do Paraguai e sua influência na criação do distrito de Albuquerque e a lenda do ouro enterrado, que dizia que os moradores do antigo distrito enterravam ouro para que não roubassem as riquezas daquela terra. Muitos teriam morrido sem desenterrar o ouro.

 

O dia 20 de janeiro, dia de São Sebastião, também foi lembrado no desfile da Caprichosos, assim como a Festa do Divino que acontece sempre 50 dias após o domingo de Páscoa. Com o carro ‘Albuquerque em Festa’, agremiação encerra desfile contando as homenagens realizadas durante a festa do Divino Espírito Santo de Albuquerque.