GRES Acadêmicos do Pantanal abre a segunda noite de desfile

A escola Acadêmicos do Pantanal será a primeira a escola a entra na passarela do samba nesta segunda-feira, 04 de março, e traz o samba enredo “Luta e Gloria de um Guerreiro chamado Nelson”.

 

Segundo o presidente da escola, Fernando Willian da Costa, será feito uma singela homenagem ao Senhor Enildo Costa mais conhecido como ‘Nelson?.

 

“Aceitamos navegar na fantástica trajetória de um guerreiro. Um homem simples, mas com muita bagagem e com uma história de vida incrível. Em 2001, quando retornou para a cidade de Corumbá, ingressou no carnaval da cidade. Foi fundador e presidente da LIESCO (liga independente das escolas de samba de Corumbá) e também um dos presidentes do GRES Acadêmicos do Pantanal”, explicou Fernando. 

 

A carnavalesca Jackelyny Pazzolyny disse que neste ano a ideia é aperfeiçoar o desfile do ano passado e melhorar a bateria, “queremos fazer um desfile mais técnico porque no ano passado o resultado foi decidido nos décimos de alguns quesitos”.

 

A escola encontra-se com 80% pronta, “agora estamos trabalhando nos carros alegóricos, dando os últimos detalhes para que na sexta-feira possa entregar a escola toda pronta”.

 

Ficha técnica

 

NOME: G.R.E. S ACADÊMICOS DO PANTANAL

FUNDAÇÃO: 21 DE JULHO DE 2001

PRESIDENTE: Fernando Willian da Costa

CORES: verde, branco, azul e amarelo

CARNAVALESCA: Jackelyny Pazzolyny

ENREDO: Luta e Gloria de um Guerreiro chamado Nelson

SAMBA- ENREDO: Luta e Gloria de um Guerreiro chamado Nelson

COMPOSITOR: Victor Raphael e Edu Chagas

PUXADOR (ES): Flavio do Cavaco

NÚMERO DE COMPONENTES: 700

COMISSÃO DE FRENTE: 10 componentes

NÚMERO DE ALAS: 17

NÚMERO DE CARROS ALEGÓRICOS: 4

MESTRE DE BATERIA: Igor Medeiros

COMPONENTES DA BATERIA: 75 ritmistas

PORTA BANDEIRA: Luana Cruz

MESTRE-SALA: Roberte Arruda

NÚMERO DE BAIANAS: 18

MADRINHA DE BATERIA: Kelina Karrú

 

Confira a letra do Samba Enredo

 

Luta e Gloria de um Guerreiro chamado Nelson

AUTORES : Victor Raphael e Edu Chagas

 

Por mares nunca dantes navegados
A Pantanal chegou para homenagear.

Um homem visionário, jovem promissor
Sempre deu valor ao seu trabalho
Lição que pai e mãe lhe ensinou
Resolveu singrar os oceanos
Visitou vários lugares
Até em San Diego aportou

 

Quando chega ao Rio de Janeiro
Se encantou com o carnaval
O marinheiro deixou seu coração na folia

 

Enquanto seu barco partia

Carregou em suas embarcações
Várias preciosidades

O ouro negro espalhou no mundo inteiro
Trouxe de volta um monarca brasileiro
Em cada porto que passou
Saudade deixou quando a âncora subiu
Desfralda em sua terra uma bandeira
Nas cores da pátria que serviu
E agora, as batalhas que travou
Enfim, ganhou, tempo de comemorar
A passarela vibra com empolgação
Na nossa escola és eterno capitão
Enilde Vital, continência é respeito
Amigo do peito
Fundador deste pavilhão

 

O tuiuiú voa alto na avenida.

Para contar uma história singular
Grande filho, grande pai, grande exemplo

Um baluarte da folia em Corumbá