Prefeitura apresenta projeto do aterro sanitário no Tribunal de Contas do Estado

Um prazo de 15 dias para apresentar o protocolo do projeto do aterro sanitário de Corumbá, que deu entrada no Fundo de Investimento da Bacia do Prata (Fonplata), para o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público Estadual (MPE). Isso foi o que ficou definido em reunião com a Inspetoria de Engenharia, Arquitetura e Meio Ambiente do TCE, quando o prefeito Marcelo Iunes foi apresentar o projeto que deverá contar com recursos do do Fonplata.

 

Durante a reunião no tribunal, Iunes esteve acompanhado pelo secretário municipal de Infraestrutura, Ricardo Ametla e pelo presidente da Câmara Municipal de Corumbá, Evander Vendramini Duran. O grupo foi recebido pelo engenheiro ambiental Fernando Silva Bernardes e pelo chefe da Inspetoria de Engenharia, Arquitetura e Ambiente do TCE, Carlos Alberto Negreiros Said Menezes.

 

O prefeito Marcelo Iunes ressaltou a importância da implantação do aterro para a cidade de Corumbá. “Estamos contando com o envolvimento de toda a nossa equipe e este é um dos grandes desafios de nossa administração que está empenhada na implantação do aterro”, afirmou o prefeito. Ele disse ainda que durante os 12 anos que esteve no legislativo ouviu falar desse projeto, mas ele nunca foi efetivado. “Agora nós estamos trabalhando para que ele se transforme em realidade, melhorando assim as condições sanitárias e a proteção ao meio ambiente do nosso município”, enfatizou.

 

O projeto do aterro sanitário de Corumbá será um piloto para outros municípios. É uma exigência antiga do Governo Federal e uma necessidade dos municípios, principalmente de Corumbá, cidade considerada dona do “maior santuário ecológico do mundo”. Por isso mesmo, o Fonplata, segundo o prefeito, em primeira mão se manifestou favorável à liberação dos recursos, cujo financiamento deve ser aprovado em um curto espaço de tempo.