Na Caixa Econômica, prefeito busca recursos para construção de casas populares

O prefeito Marcelo Iunes esteve na manhã desta quarta-feira, 30 de maio, na Superintendência Estadual da Caixa Econômica Federal, em Campo Grande, buscando a liberação de recursos para construção de 359 casas populares em Corumbá.

 

Na avaliação do chefe do Executivo municipal, a reunião foi bastante produtiva. “Conseguimos avançar neste projeto, que é muito importante para nossa população. Estamos empenhados em diminuir o déficit habitacional na cidade, que ainda é muito grande”, afirmou Marcelo Iunes.

 

O gerente executivo de habitação da Caixa em Mato Grosso do Sul, Maurício Abreu Santa Cruz de Souza, e o empresário Gustavo Curi, representante da Construtora ETHOS, participaram da agenda, que contou ainda com a presença do secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Urbanos, Ricardo Amtella, e da advogada da pasta, Gabriela Carneiro.

 

O novo programa habitacional prevê a construção de 359 moradias. “O chamamento já foi publicado. O processo é uma forma de construção diferenciada, moderna, pré-moldada de grande qualidade e com celeridade muito maior que a convencional. É uma novidade que Corumbá trará na forma de construção”, explicou Ricardo Ametlla.

 

Só neste ano, o prefeito Marcelo Iunes já entregou 278 apartamentos do conjunto Flamboyant III e, muito em breve, mais 280 famílias receberão dele as chaves do conjunto Flamboyant II. O prefeito também entregou 224 casas do Corumbella II para os beneficiários e, no ano passado, outros 200 apartamentos do Residencial Buriti.

 

Política de Governo

 

Em dezembro do ano passado, o prefeito Marcelo Iunes sancionou a lei que autoriza o Poder Executivo Municipal a doar áreas ao Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) para construção de quase 360 unidades habitacionais pelo programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal.

 

De acordo com a legislação, a Caixa Econômica Federal será a responsável pela contratação junto aos interessados que preencham os requisitos legais de financiamento com subsídios, sendo o imóvel posteriormente matriculado em nome deste, sendo nesta oportunidade concedida isenção para que isso ocorra.

 

O Programa Minha Casa Minha Vida parte da premissa que o acesso à moradia regular é condição básica para que as famílias de baixa renda possam superar suas vulnerabilidades sociais e alcançar sua efetiva inclusão na sociedade brasileira, e que o acesso ao financiamento habitacional para estas famílias que não têm capacidade de poupança exige condições especiais e subsidiadas.

 

Na área objeto da doação, a lei estabelece que serão construídas 359 unidades habitacionais, para contemplar famílias que se enquadrem nos requisitos legais do programa.