Novos agentes de saúde participam de capacitação e iniciam atividades

A Prefeitura de Corumbá está realizando capacitação profissional com os novos agentes de vigilância em saúde. Foram contratadas 30 pessoas que passaram por processo seletivo e receberam as boas-vindas na manhã de segunda-feira, 02 de abril, na Casa dos Conselhos. Durante todo o dia, os agentes foram instruídos sobre o funcionamento do Centro de Controle de Vetores (setor responsável pelas atividades dos agentes), a biologia do vetor Aedes aegypti, rotina de trabalho, LIRAa, sistema de informação, cumprimento de metas, controle vetorial e outros assuntos relacionados às suas atividades. Nesta terça e quarta-feira, vão iniciar trabalho de rotina com supervisores.

 

“Esses novos contratados vão contribuir bastante no combate a doenças endêmicas como dengue, zika, chikungunya e leishmaniose. Eles estarão aptos, inclusive, a detectar possíveis casos da febre amarela urbana, mesmo não havendo registros da doença em anos recentes no município. Além disso, estarão capacitados a trabalhar a educação em saúde com os moradores e instrui-los sobre todas essas endemias. É um ganho para a saúde pública e um enorme benefício para a população”, afirmou o secretário municipal de saúde, Dr. Rogério Leite.

 

Conforme Grace Bastos, chefe do Centro de Controle de Vetores (CCV), o papel primordial dos agentes de vigilância em saúde é realizar visitas rotineiras nas casas e fazer controle químico com borrifação em casos de notificação de doenças transmitidas por mosquitos. Além disso, são essenciais na parte de educação em saúde e no controle mecânico de combate ao Aedes aegypti. Eles estão sendo contratados exclusivamente para esse serviço.

 

De acordo com ela, há atualmente em Corumbá seis áreas descobertas pelo serviço dos agentes de endemias e esses novos profissionais vão conseguir suprir essa demanda. Grace explicou que cada área equivale a 800 a 1000 imóveis para serem visitados pelos agentes no período de dois meses, ou seja, por ciclo. O que acontece hoje é que entre cinco e seis mil imóveis não estão sendo visitados por falta de profissionais. A contratação ocorre especialmente para cobrir essas áreas.

 

“Vamos fechar vagas também para o controle da leishmaniose, que é uma necessidade urgente no município, no controle químico e também no manejo, que é a parte da retirada da matéria orgânica, afora as visitas e controle referentes aos casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Além do bloqueio químico, vamos fazer trabalho de bloqueio mecânico porque a partir do momento em que a gente tem uma notificação, precisamos ir à casa do morador e fazer a retirada dos depósitos que podem se tornar criadouros do vetor Aedes aegypti”, explicou Grace Bastos.

 

Ela disse ainda que serão organizadas duas equipes de bloqueio mecânico para completar o trabalho que o Município já vem realizando. O dia 02 de abril já foi considerado primeiro dia de trabalho, com capacitação pela manhã e à tarde. Depois do trabalho desenvolvido na prática sob supervisão, nos dias 03 e 04, os agentes serão encaminhados para suas áreas, de acordo com o local, se possível, próximo à residência do profissional, pois o objetivo é não deixar o novo agente distante da sua residência.

 

Grace Bastos destacou que todos estarão capacitados para conhecerem a biologia do vetor, a fim de estarem aptos a realizarem, de forma mais ciente, outros trabalhos pelo Centro de Controle de Vetores. “Isso é importante para fazerem a parte educativa com o morador de maneira mais eficaz, para que o cidadão trabalhe junto, porque o setor público tem o comprometimento, mas também o morador precisa ter esse compromisso junto ao setor público”, disse a chefe do CCV. “Vai ser uma contratação eficiente para fecharmos esse controle”, finalizou.