Gestantes do programa de planejamento familiar são orientadas sobre MEI

Na semana passada, gestantes que aguardavam atendimento no Centro de Saúde da Mulher e participaram da atividade de Planejamento Familiar, que ocorre toda quinta-feira, foram orientadas sobre o programa MEI (microempreendedor individual). A intenção foi orientar tanto as mulheres quanto seus parceiros sobre a modalidade, ampliando a visão deles quanto à legalização dos próprios negócios e os benefícios que a formalização traz, especialmente às gestantes.

 

“Na última edição do Prefeito Presente, ocorrida na Escola Municipal José de Souza Damy, servidores da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável foram até o stand do Centro de Saúde da Mulher e perceberam que nosso público-alvo seria público deles também. Então, solicitamos a eles que fizessem palestra no Centro na quinta-feira, quando há semanalmente atividade de planejamento familiar”, explicou Letícia Benites Braga Leite, enfermeira coordenadora Centro de Saúde da Mulher.

 

Conforme ela, muitas das gestantes que participam do programa de planejamento familiar trabalham com comércio de salgados, vendas informais, prestam serviços como manicure, cabeleireira, mas não são formalizadas. Esse levantamento foi feito pela assistente social do Centro, Kelma Araújo Delgado. O que acontece é que por serem informais e não contribuírem com a previdência, quando estão gestantes essas mulheres não têm direito à licença maternidade, ao mesmo tempo em que ficam impossibilitadas de trabalhar. A ideia agora é que uma vez por mês a Secretaria de Desenvolvimento possa levar essas informações às gestantes.

 

Planejamento Familiar


Uma vez por semana, o Centro de Saúde da Mulher desenvolve atividade educativa do programa de Planejamento Familiar, baseado na Lei Federal 9.263. Conforme a lei, o planejamento familiar é parte integrante do conjunto de ações de atenção à mulher, ao homem ou ao casal, dentro de uma visão de atendimento global e integral à saúde. Trabalha com ações preventivas e educativas e pela garantia de acesso igualitário a informações, meios, métodos e técnicas disponíveis para a regulação da fecundidade. Durante a atividade semanal, os participantes também são orientados quanto a doenças sexualmente transmissíveis.

 

“Essa interação entre as Secretarias do Município só tem a beneficiar o cidadão. Unir o planejamento familiar a uma visão mais ampla de trabalho, por meios legais e com maior perspectiva de crescimento é bem interessante. A iniciativa da coordenação do Centro de Saúde da Mulher pode beneficiar muitas famílias, especialmente as crianças geradas por essas gestantes que, uma vez atentas para esses cuidados, vão construir laços familiares mais fortes, com mais qualidade de vida e com menos preocupações”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Dr. Rogério Leite.