Médicos da Atenção Básica são capacitados sobre tratamento antirrábico

Profissionais que compõem o programa nacional “Mais Médicos” e trabalham no Município de Corumbá realizam constantemente oficinas de atualização. Nesta semana, nos dias 27 e 28, a “Atualização de Atendimento Antirrábico” foi ministrada pela veterinária Walkíria Arruda, chefe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), e pela enfermeira Mariângela Capurro, chefe do Núcleo de Vigilância Epidemiológica de Doenças Transmissíveis. Promovida pela Secretaria Municipal de Saúde, a atualização teve como objetivo expor o novo protocolo de atendimento.

 

“Houve mudança no esquema de vacinas para humanos e estamos atualizando os médicos”, disse Mariângela. Agora, quem tiver sofrido mordida, lambedura ou arranhadura de animais desconhecidos realizam tratamento por meio de quatro doses da vacina antirrábica, uma a menos que o preconizado anteriormente. “Há epidemia de raiva na Bolívia e como somos fronteira seca estamos fazendo essa atualização, sem contar que em 2015 também tivemos epidemia em Corumbá”, lembrou a enfermeira.

 

Conforme ela, em Corumbá o número de pessoas atacadas por animais de rua é muito alto, mas os moradores têm se conscientizado mais e procurado atendimento médico o mais breve possível. “Alguns se recusam a princípio a terminar o tratamento por causa das quatro doses, mas eles acabam terminando”, afirmou Mariângela Capurro.

 

Conforme Walkíria Arruda, quando a pessoa receber lambedura, mordida ou arranhadura de animais desconhecidos deve, em primeiro lugar, lavar o local com água e sabão e, em seguida, buscar socorro médico no pronto-socorro ou UPA. Com relação à campanha de vacinação contra raiva, Corumbá acabou de concluir uma e a próxima está prevista para junho. Este ano ainda não foram registrados casos de raiva na cidade. Em 2017, apenas um caso confirmado. A veterinária alertou ainda para o cuidado com morcegos.

 

“Morcego no chão não é normal. Ao ver um morcego caído, o morador deve evitar manuseá-lo. A pessoa precisa entrar em contato com o CCZ para que possamos buscar o animal e realizar coleta de material para análise. Morcegos com comportamentos atípicos, quando voam e passam a bater em objetos, também não é normal. Pode se tratar de um morcego com raiva”, afirmou Walkíria. A chefe do CCZ enfatizou que se no ambiente houver outros animais como gato e cachorro, além de crianças, o morador deve colocar uma caixa ou balde em cima do morcego até a chegada da equipe do Centro de Controle de Zoonoses.

 

Capacitações constantes


Essa não foi a primeira capacitação promovida através da Secretaria Municipal de Saúde este ano. Essas atualizações direcionadas aos médicos da Atenção Básica são organizadas pela Gerência de Atenção à Saúde conforme demanda local. Nos dias 20 e 21 de fevereiro, por exemplo, o mesmo público-alvo participou de oficina sobre atendimento a pacientes diabéticos. Daquela vez, o endocrinologista Nabil Omar ministrou as aulas.

 

“A gente tem um cronograma de capacitações com os médicos da Atenção Básica porque a maioria deles, 98%, integra o programa Mais Médicos e, por lei, eles têm a liberação de oito horas semanais para estudo. A gente incluiu essas horas dentro de capacitações voltadas para o perfil epidemiológico do Município”, explicou Thais Luzio Fernandes, gerente de Atenção à Saúde.

 

De acordo com Thais, a capacitação sobre diabetes foi importante para que os médicos possam prevenir as complicações que a doença causa para o paciente. Além disso, havia grande fluxo de encaminhamento desnecessário para o especialista o que provocou o aumento na fila de espera para consulta com endocrinologista. “A capacitação foi para explicar tudo sobre a doença e mostrar em qual momento do estado clínico do paciente é necessário encaminhá-lo ao especialista”, afirmou Thais.

 

Além dessas duas atualizações, os médicos foram capacitados este ano quanto ao tratamento da conjuntivite. Um oftalmologista ministrou a capacitação que teve o objetivo de diminuir a fila de espera para o especialista, já que a doença pode ser tratada na Atenção Básica de Saúde.

 

Essas rodas de conversa entre os médicos que atuam nas Estratégias de Saúde da Família e médicos especialistas e ainda com outras áreas estratégicas da saúde, como a Vigilância em Saúde, acontecem semanalmente desde o início da gestão do Dr. Rogério Leite, sendo iniciadas em janeiro de 2017. Elas fazem parte de série de ações desenvolvidas para o fortalecimento da Atenção Básica no Município, compromisso do secretário municipal de Saúde desde que assumiu o cargo.