Ações contra Aedes aegypti continuam; agentes visitaram 1,5 mil imóveis

Entre os dias 7 e 13 de janeiro, os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde visitaram 1.514 imóveis no trabalho contínuo de extermínio dos focos do mosquito Aedes aegypti. As equipes de bloqueio químico também realizaram borrifação com a bomba costal em 656 imóveis nas micro áreas Generoso, Cemitério, Santos Dumont, Humberto Pereira, Jardim dos Estados e Detran. Ainda no mesmo período, foram realizadas ações de combate ao mosquito vetor da leishmaniose.

 

Conforme o segundo Boletim Epidemiológico de 2018, sete casos suspeitos de dengue foram notificados nos bairros Nossa Senhora de Fátima (3), Dom Bosco (2), Jatobazinho (1) e Popular Velha (1). No Jardim dos Estados, Jatobazinho e na Popular Velha também foram notificadas suspeitas de zica vírus.

 

Ainda na semana dois, foram notificados quatro casos de chikungunya nos bairros Nossa Senhora de Fátima (3) e Popular Velha (1). Todas essas doenças são provocadas pelo Aedes. A prevenção ainda é a melhor forma de combater o mosquito. Para isso a população precisa descartar todos os objetos não utilizados que estiverem expostos às chuvas para não acumular água, tampar tonéis e depósitos de água, trocar diariamente a água dos bebedouros dos animais, olocar terra ou areia nos vasinho s de plantas, e colocar o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira completamente tampada.

 

Influenza, diarréia e conjuntivite

 

Até o dia 13 de janeiro não foi registrado nenhum caso de H1N1 no município. Já os casos de diarréia aguda somaram 158 só neste início de ano. São 16 casos em crianças menores de um ano, 36 em crianças de um a quatro anos, 13 casos em criança de cinco a nove anos e 92 casos em crianças com mais de 10 anos.  

 

O Boletim Epidemiológico da Vigilância em Saúde também registrou, na segunda semana de Janeiro, 20 casos de conjuntivite viral, totalizando 34 casos em 2018. Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas.