Em uma semana, Prefeitura visitou 4 mil imóveis no trabalho contra dengue

Entre os dias 3 e 9 de dezembro, as equipes da Secretaria Municipal de Saúde visitaram 4.001 imóveis em várias regiões de Corumbá. Nesses locais os agentes fizeram a eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor, e deram orientações junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do transmissor de diversas doenças.

 

A equipe de bloqueio químico realizou a borrifação com a bomba costal em 630 imóveis nas áreas da Corcal, Rancho, LG, Senai, João de Brito, Santos Dumont e no Cemitério. Foi realizado ainda bloqueio mecânico nas micro-áreas Rotary, Vitória Régia, Rancho L. G. e Senai, além de palestra de “Combate ao Aedes aegypti e ao Flebótomo” na ESF Maria Lúcia Pereira.

 

Aedes

 

Até o dia 9 de dezembro, foram notificados 572 casos suspeitos de dengue em Corumbá, sendo 32 confirmados. De zica vírus, foram notificados 136 casos suspeitos e 10 confirmados. Já de chikungunya foram notificadas 89 ocorrências e 147 foram confirmadas. A melhor forma de combater as doenças é a prevenção.

 

A Secretaria de Saúde orienta descartar todos os objetos não utilizados que estiverem expostos às chuvas para não acumular água, tampar tonéis e depósitos de água; trocar diariamente a água dos bebedouros dos animais; colocar terra ou areia nos vasinho s de plantas; e colocar o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira completamente tampada.

 

Leishmaniose, influenza e diarréia

 

Até a semana epidemiológica 49, foram confirmados 13 casos de Leishmaniose Visceral nos bairros Jardim dos Estados, Jardinzinho, Popular Velha, Previsul, Dom Bosco, Centro América, Cristo Redentor, Universitário, Região de Porto Morrinho, Cravo Vermelho, com dois óbitos nos bairros Maria Leite e Guatós. Foi confirmado também um caso de leishmaniose tegumentar no Centro.

 

A influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor muscular e perda de apetite, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana. Até o momento no município foram confirmados por laboratório nove casos de H3 sazonal e um caso de H3 sazonal por vínculo epidemiológico.

 

Já a diarréia aguda é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e frequência das fezes, mais frequentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal.  Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria).

 

Em geral ela é autolimitada, isto é, tende à cura espontaneamente e sua gravidade depende da presença e intensidade da desidratação ou do tipo de toxina produzida pelo agente que provocar outras síndromes. Até a semana 49 foram registrados 4.033 casos de doenças diarreicas agudas. Destes, 215 casos ocorreram crianças menores de um ano, 996 em crianças de um a quatro anos, 425 casos em criança de cinco a nove anos e 2.308 casos em crianças com mais de 10 anos.

 

Acidentes

 

A Prefeitura de Corumbá possuiu uma equipe de acolhimento nas unidades de urgência e emergência para atendimento das pessoas em situação de violência e acidentes para posterior encaminhamento a Rede intersetorial. Na semana epidemiológica 49 foram realizados 22 atendimentos de pessoas em situação de violência nas unidades de saúde da REDESUS, com preenchimento da ficha de notificação de violência. Dentro desses casos, foram notificados 10 situações de violência física, oito de negligência, um de violência psicológica e uma tentativa de suicídio.