Saúde visitou 1.829 imóveis na prevenção às doenças transmitidas pelo Aedes

Equipes da Secretaria Municipal de Saúde visitaram 1.829 imóveis na semana passada dentro das suas atividades rotineiras. Nos locais foi realizada eliminação de focos para que o Aedes aegypti não se desenvolva. Além disso, moradores foram orientados para evitar acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Equipe fez bloqueio mecânico na microrregião do Detran e agentes de endemias fizeram bloqueio químico com borrifação em 295 imóveis nas microrregiões Ferro Liga, Vitória Régia, Vila Noroeste e Janjão. Em todos os casos notificados foi realizado manejo ambiental.

 

O 5º Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) resultou em 2,6%, índice considerado situação de alerta pelo Ministério da Saúde. Dados do 30º Boletim Epidemiológico da Vigilância em Saúde indicam que até o dia 23 de setembro, foram confirmados em Corumbá 31 casos de dengue e 492 notificações da doença. O Zika vírus tem 118 casos suspeitos e 10 confirmações, já a Febre Chikungunya tem 11 confirmações e 75 notificações. Neste ano, houve 10 casos de Leishmaniose.  Com relação ao vírus Influenza, até o dia 23 de setembro foram registrados 114 casos em Corumbá.

 

O boletim informa também casos de acidentes e violência atendidos pelas equipes de saúde do Município. Os acidentes englobam quedas, envenenamento, afogamento, queimaduras, acidente de trânsito, entre outros; já as violências são eventos considerados intencionais e compreende agressão, homicídio, violência sexual, negligência/abandono, violência psicológica, lesão autoprovocada, entre outras. A vigilância de violências e acidentes (VIVA) tem o objetivo de subsidiar ações de enfrentamento dos determinantes e dos condicionantes das causas externas desses casos.

 

No âmbito do Sistema Único de Saúde, sob a Coordenação de Vigilância epidemiológica de DANT – Doenças e agravos não transmissíveis, esses índices se tornaram objeto de vigilância e de prevenção em saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Atualmente, na Secretaria Municipal de Saúde há uma equipe de acolhimento nas unidades de urgência e emergência para atendimento das pessoas em situação de violência e acidentes para posterior encaminhamento à rede intersetorial.

 

Na semana 38, correspondente ao último boletim da Vigilância em Saúde (17 a 23 de setembro), foram notificados 18 casos de violência em Corumbá, sendo 07 casos de violência física, 08 de negligência, 01 sexual, 01 psicológico e um caso suspeito de negligência.

 

A Saúde monitora também casos de diarreia aguda, que é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e frequência das fezes, mais frequentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal.  Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria). Em geral é autolimitada, isto é, tende à cura espontaneamente, com duração entre 2 a 14 dias, e sua gravidade depende da presença e intensidade da desidratação ou do tipo de toxina produzida pelo agente que provocar outras síndromes.

 

Até a semana 38, foram registrados 3216 casos de Doenças Diarreicas Agudas no Município, sendo 164 em crianças menores de 01 ano, 792 em crianças de 1 a 4 anos, 328 casos em criança de 5 a 9 anos e 1846 casos em crianças com mais de 10 anos.

 

A Vigilância Ambiental em Saúde distribuiu 64 frascos de hipoclorito de sódio e cadastrou 30 pessoas no Popular Velha. Realizou 10 coletas de água na análise, todas as averiguações foram satisfatórias. Fez 15 visitas técnicas por causa de animais peçonhentos no Centro da cidade e 15 no conjunto João de Deus. A Vigilância Ambiental em Saúde é um conjunto de ações que detecta mudanças no meio ambiente que possam interferir na saúde humana com a finalidade de identificar as medidas de prevenção e controle dos fatores de risco ambientais relacionados às doenças ou outros agravos à saúde.