Desafios e persistência na educação marcam o cotidiano do professor

As mídias são o principal desafio enfrentado pelos professores em sala de aula, acredita a pedagoga Luciene Magalhães Barakat, que há 30 anos leciona na Rede Municipal de Ensino de Corumbá. Neste 15 de outubro, Dia do Professor, ela lembrou que o papel do educador é fundamental na formação da criança e que hoje, para ter sucesso na profissão, é necessário ter persistência no ensino. “Ser pedagogo é estar à frente das mudanças, dos desafios que nossos alunos apresentam”, afirmou Luciene, especializada em Educação Infantil e responsável técnica do Núcleo do Campo da Secretaria Municipal de Educação.

 

“Antes, o professor era visto pelos pais e pelos alunos como aquele profissional que daria uma direção ao estudante, mas hoje temos a mídia que é nosso apoio e, ao mesmo tempo, também nossa adversária. Você ainda lida com papel, com o iniciar da escrita com a criança, mas tem a mídia que já traz tudo pronto”, disse a pedagoga. Luciene lembrou também de outros desafios que o professor tem enfrentando hoje em sala de aula. “Infelizmente, perdemos muito espaço como educador e eu não acredito que seja por falta de conhecimento, mas há outras coisas que estão permeando o ambiente escolar, que antes era um espaço sem fronteira para ensinar o aluno a conhecer o mundo. A escola tem ficado perdida em meio a algumas situações ruins como assédio, drogas e violência. Desejo para todos os colegas de profissão que tenham perseverança e conhecimento de como fazer o desenvolvimento da educação no âmbito escolar, mesmo em meio a essas questões da realidade brasileira”.

 

Depois de 30 anos lecionando na zona urbana de Corumbá, Luciene está vivendo uma experiência diferente este ano. Desde o retorno do Programa Social Povo das Águas, já participou de quatro edições, usando técnicas para trabalhar com crianças ribeirinhas. “Em cada porto que paramos e lidamos com crianças de cada comunidade ribeirinha, percebemos que estamos distantes do nosso desafiador, que é a mídia. Lá, as crianças prestam atenção no que você fala e você percebe a importância que tem como educador para elas. Já vamos preparados para contar histórias, como ensiná-las a brincar e a fazer cantigas de roda. Nosso maior prazer é se preparar para chegar naquelas regiões e trabalhar com aquelas crianças”, afirmou Luciene Bakarat.

 

Além dos professores que ensinam na zona urbana, em Corumbá há aqueles que lecionam nas regiões ribeirinhas e em assentamentos rurais. O calendário das escolas das águas segue sempre o período das cheias dos rios do Pantanal. Essas escolas, muitas delas acessíveis só através de embarcação, recebem atendimento específico no transporte, alojamento, nas formações dos docentes, no acompanhamento pedagógico da direção, da coordenação e contam com técnicos da Secretaria Municipal de Educação.

 

Atualmente, está em construção uma escola sede na região das águas, na colônia do Bracinho, na região do Taquari, onde foram entregues dois tratores com duas carretas adequadas para o transporte escolar e posteriormente serão entregues mais dois tratores com duas carretas. Está em reforma a Escola Municipal Rural Barra do São Lourenço, na região do Paiaguás, e a Escola Paraguai Mirim, na região da Ilha Verde, que está em fase de licitação.

 

No Município de Corumbá há também docentes habilitados para trabalhar com salas de Educação Especial (AEE) e que recebem formação continuada e cursos na área para que todos os alunos com deficiência, matriculados na Rede Municipal de Ensino, recebam de forma efetiva o atendimento pedagógico.

 

A secretária municipal de Educação, Maria Eulina Rocha dos Santos, afirmou que desde a sua primeira gestão, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira tem compromisso de equidade com os profissionais de educação, sempre comprometido com a educação e valorização desses servidores. “O concurso público é apenas um dos exemplos a ser citado como marco da credibilidade na gestão do prefeito Ruiter. Além disso, neste ano, foi adotado pela Educação Infantil o Sistema Aprende Brasil, que visa a apoiar didaticamente o professor, com subsídios teóricos e práticos para incentivar o pensamento crítico de nossas crianças, de maneira interativa entre escola e família. Para tanto, os professores foram capacitados durante o ano pela equipe do Sistema Aprende Brasil da editora Positivo”, afirmou a secretária.

 

Ela lembrou também, ainda no contexto da valorização do professor, que a atual gestão realizou em 2017 formações continuadas como o curso de Libras, o Programa Nacional Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), para docentes do 1º ao 5º ano, realizou o programa “Saberes em Ação e Reflexão na Educação Infantil”, o curso de Espanhol, a Biblioteca Itinerante, o curso de Robótica, formações nas áreas de ciências, matemática, história, geografia, português, inglês, além de incentivar o professor à pesquisa, através do projeto Professor Pesquisador, que acontecerá em dezembro, no Encontro Municipal de Educação.

 

“Acreditamos em cada um dos profissionais lotados em nossa Rede Municipal de Ensino, pois se fizeram presentes nas formações e mostraram-se engajados no processo de melhoria na educação dos alunos. Parabenizamos todos os professores que buscam o conhecimento e passá-lo, da melhor forma possível, aos nossos estudantes”, finalizou Maria Eulina Rocha dos Santos.