Acadêmicos participam de maratona de programação durante Semana do MEI

Encerrando a programação da Semana do MEI, a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural promove, em parceria com a UFMS e IFMS, o “Hackathon Ala Vôti”. A maratona de programação teve início na quinta-feira, 05 de outubro, e segue até o dia 07. O objetivo é estimular estudantes universitários a desenvolverem software que atenda às necessidades da Rede SIM. Participam da maratona 30 acadêmicos, divididos em três equipes.

 

“Identificamos uma oportunidade para reforçarmos nosso Sistema de Inspeção Municipal de forma a contribuirmos com os empresários e produtores que demandam este serviço. Aproveitamos a expertise da UFMS e do IFMS para obtermos soluções modernas e, ao mesmo tempo, oportunizarmos a prática para os acadêmicos”, destacou Renato dos Santos Lima, secretário Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural.

 

Um comitê avaliador será formado entre docentes do IFMS e UFMS que compõe a equipe organizadora e dos técnicos da Prefeitura Municipal responsável pelo Serviço de Inspeção Municipal de Corumbá para avaliar os projetos. Cada equipe fará uma apresentação de 10 a 15 minutos do seu protótipo.

 

“A UFMS é um celeiro, tanto de pesquisa quanto de mão de obra qualificada. Temos a preocupação de modernizar o nosso sistema de inspeção municipal, então, vimos que a UFMS podia nos apoiar por meio de uma competição procurando a melhor solução para a modernização do SIM. O SIM existe para empresários comercializarem produtos de origem animal, fabricados no município, na própria cidade. É um sistema que funciona bem, mas o gestor do SIM em Corumbá vislumbrou que há um potencial de melhorar ainda mais esse processo. O sistema ainda é manual e uma das provocações que pode sair dessa competição é a informatização do sistema”, afirmou Renato Lima.

 

Veterinário responsável pelo serviço de inspeção municipal, Alexandre Vasconcelos Cavassa, espera que informatizando o processo, o SIM possa facilitar a organização do processo, oferecendo mais agilidade. Ele lembrou que todo produto de origem animal que é manipulado, transformado e transportado, tem que passar pela inspeção municipal. “O que esperamos com esse programa é que possamos gerenciar as ações do SIM através dele. Esses processos são pastas onde há vários documentos anexados e que têm prazo de validade, como vistorias, inspeções, análises de água, do próprio alimento, temos que ter controle disso tudo. Tendo um programa que nos ofereça essa agilidade e nos dê alertas na época certa, ficaria mais prático”, disse o veterinário.

 

Hoje em dia, há 30 estabelecimentos registrados no Município. Para que o empresário possa tirar o SIM, é necessário primeiro entrar em contato com a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural e se dirigir ao setor de inspeção municipal. No local, ele será orientado tecnicamente e quanto à documentação.

 

Luciano Édipo Pereira da Silva, coordenador do projeto e professor no curso de Sistemas de Informação da UFMS, afirmou que além de colaborar com o Município, essa é uma experiência importante para os estudantes. “Aqui no campus do Pantanal é inédito um hackathon. A gente faz há algum tempo maratonas de programação, só que elas são de aspecto mais geral, a gente trabalha mais com algoritmos de forma geral, com problemas menores, não tem um direcionamento. Já um hackathon tem o objetivo de propor um tipo de solução direcionada para alguma entidade, negócio ou serviço específico”, explicou Luciano.

 

Para o professor, o hackaton gera impacto na carreira dos alunos. “A gente espera que eles consigam aplicar muitas daquelas teorias que são passadas nas disciplinas de uma forma prática. Corumbá é uma cidade com carência de empresas de desenvolvimento, então, todo tipo de evento que possa propiciar um pouco disso, vai ajudar a prepará-los a trabalhar em equipe e resolver problemas”, afirmou o coordenador do projeto.