Comitê da Dengue apresenta ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti

As ações de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya – foram apresentadas durante reunião do Comitê da Dengue, realizada na manhã desta quinta-feira, 14 de setembro, no auditório da Prefeitura de Corumbá.

 

O Comitê mostrou que o Município desenvolve rotineiramente um plano de ação visando prevenção e controle da dengue, zika vírus e chikungunya. São realizadas ações em casas classificadas em situação crítica para surgimento de focos do mosquito; ações de conscientização e educação em saúde; mutirões em áreas descobertas; além de bloqueios mecânicos e químicos.

 

Nos meses de julho e agosto (Ciclo 4), a cobertura com ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti , com visitas domiciliares, chegou a 31.178 imóveis. Esse total equivale a 81,28% dos imóveis existentes no município. Este ano os índices atingidos foram os seguintes: 76,22% no Ciclo 1 (que corresponde aos meses de janeiro e fevereiro); 65,62% no Ciclo 2 (março e abril) e 81,15% no Ciclo 3 (maio e junho).

 

Ao longo do ano, até a semana 36 – que compreende o período de 03 a 09 de setembro de 2017 – foram notificados 477 casos suspeitos de dengue com 31 confirmações em Corumbá. Com relação ao zika vírus, foram notificados 114 suspeitas com 10 casos confirmados. A chikungunya apresentou 11 confirmações.

 

O último Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) apresentou como resultado o índice 2,6% de infestação. O maior índice de infestação predial (IIP), foi registrado no bairro Nova Corumbá, com 9,17%. Como depósitos predominantes de focos do Aedes estão as caixas d’água em nível do solo (A2), com 82,61% de aparições.

 

Participando da reunião mensal do Comitê, o secretário Municipal de Saúde, Rogério Leite, destacou o trabalho realizado pelas equipes da Secretaria Municipal de Saúde nas ações de combate e prevenção ao vetor e ressaltou a importância de participação, cada vez maior, da população na luta contra o mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya. Ele afirmou que com o “munícipe cooperando” as chances de êxito são muito maiores.

 

A gerente de Vigilância em Saúde, Viviane Ametlla, reforçou a necessidade da participação popular. “É necessário que população esteja junto com a Prefeitura nesse momento [de combate ao mosquito]. É fortalecermos as ações porque a partir de outubro começa o período chuvoso e estamos com notificações mesmo em período de estiagem, o que nos preocupa para a possibilidade de epidemia no próximo verão”, disse. A reunião do Comitê contou com participação de líderes comunitários, Forças Armadas, e representantes de secretarias e fundações municipais.