Boletim epidemiológico traz ações do Município na vigilância em saúde

Boletim epidemiológico da Vigilância em Saúde, liberado nesta segunda-feira, 25 de setembro, mostra que até a semana 37 foram notificados 484 casos suspeitos de Dengue e 31 confirmados em Corumbá. Os dados são referentes ao período de 10 a 16 de setembro de 2017. As equipes da Secretaria Municipal de Saúde, para combater o vetor, visitaram 4.557 imóveis nas atividades de rotina. Foram realizadas eliminação de focos, com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor e orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que favoreçam o depósito de ovos do mosquito transmissor.

 

Durante a semana 37 houve a realização de bloqueio mecânico nas micro áreas Generoso, Beira Rio, Cerâmica, Senai, Fernando de Barros, Humberto Pereira e Nova Corumbá. A equipe de bloqueio químico realizou a borrifação com a bomba costal em 299 imóveis nas microáreas Generoso, TV Morena, Humberto Pereira. Também foram realizados manejo ambiental em todos os casos notificados e uma ação de combate ao Aedes aegypti no bairro Cristo Redentor.

 

O boletim epidemiológico número 29 traz ainda informações referentes ao Zika Vírus; Chikungunya; Leishmaniose; Influenza e ao Monitoramento de Doenças Diarreicas Agudas. Também foram disponibilizados dados relacionados a Acidentes e Violência e a Relação de nascidos vivos no município de Corumbá nos meses de janeiro a agosto de 2017.

 

Vírus Zika

 

Até a semana 37 de 2017 foram notificados 116 casos suspeitos, e 10 casos confirmados.

 

Chikungunya

 

No município de Corumbá até a semana epidemiológica 37, foram notificados 75 casos de Chikungunya no município e 11 casos confirmados.

 

Leishmaniose

 

Até a semana epidemiológica 37 de 2017, foram confirmados 08 casos de leishmaniose visceral nos bairros Jardim dos Estados, Jardinzinho, Popular Velha, Previsul e Dom Bosco, Centro América, Cristo Redentor e 01 óbito no bairro Maria Leite. 

 

Influenza

 

Até o momento no Município foram confirmados por laboratório 09 casos de H3 sazonal e 01 caso de H3 sazonal por vínculo epidemiológico.

 

Monitoramento de doenças diarreicas agudas

 

Até a semana 37 foram registrados 3.109 casos de Doenças Diarreicas Agudas. Destes, 160 casos ocorreram crianças menores de 01 ano, 764 em crianças de 1 a 4 anos, 315 casos em criança de 5 a 9 anos e 1.784 casos em crianças com mais de 10 anos.

 

Acidentes e Violência

 

Na semana epidemiológica 37 tivemos 29 atendimentos de pessoas em situação de violência nas unidades de saúde da REDESUS, com preenchimento da ficha de notificação de violência.

 

Os acidentes e as violências correspondem às causas externas de morbidade e mortalidade. Acidentes englobam as quedas, o envenenamento, o afogamento, as queimaduras, o acidente de trânsito, entre outros. Violências são eventos considerados intencionais e compreendem a agressão, o homicídio, a violência sexual, a negligência/abandono, a violência psicológica, a lesão autoprovocada, entre outras. Tanto os acidentes quanto as violências são eventos passíveis de prevenção.

 

Vigilância Ambiental em Saúde

 

A Vigilância Ambiental em Saúde é um conjunto de ações que proporciona o conhecimento e a detecção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente que interferem na saúde humana, com a finalidade de identificar as medidas de prevenção e controle dos fatores de risco ambientais relacionados às doenças ou outros agravos à saúde.

 

Entre as atividades realizadas estão o cadastro de imóveis e distribuição de hipoclorito de sódio (50 cadastros com 122 distribuições de hipoclorito), coleta e análise de água para consumo humano (10 coletas) e visitas técnicas e capturas de animais peçonhentos (60 visitas e 1 captura).

 

Setembro Amarelo

 

Neste mês comemora-se o Setembro Amarelo, com o tema: ‘O suicídio precisa ser debatido. No silêncio, ele cresce’. Até dia 30 deste mês, as equipes da Saúde Municipal seguem realizando ações de prevenção ao suicídio, como roda de conversa com os pacientes nas unidades de saúde; capacitação dos profissionais de saúde sobre a Rede de Atenção As Pessoas Em Situação De Violência – Equipe Dant e rodas de conversa com os alunos das escolas.