Prefeitura e missão do Fonplata acertam cronograma de execução das obras

Os técnicos da ‘missão de arranque’ do Fonplata tiveram na tarde da quarta-feira, 02 de agosto, a primeira reunião de trabalho com a equipe da Unidade Executora do Programa do Fundo Financeiro de Desenvolvimento da Bacia do Prata (UEP/Fonplata). “Fizemos a programação dos primeiros dois anos de execução do projeto. Detalhamos o cronograma de execução, além de uma revisão nos critérios de contratação das intervenções”, explicou Cássio Augusto da Costa Marques, coordenador-geral da UEP. “Mostramos tudo o que temos programado”, complementou.

 

“Viemos ver quais são as obras que vão ser executadas com os recursos do fundo internacional. Vamos trabalhar diretamente com os membros da Unidade Executora”, disse o responsável do Fonplata para os projetos de Corumbá, Oscar Carvalho. Ele destacou alto nível de especialização e conhecimento dos projetos, apresentado pelos integrantes da UEP. “É uma equipe especializada que vai trabalhar, sem problemas, a execução da obras e as ações que vão assegurar a eficiência e a transparência na administração do investimentos”, observou.

 

O Município vai receber um total de 40 milhões de dólares (aproximadamente R$ 124,8 milhões) do financiamento disponibilizado pelo Fonplata. Com o empréstimo, será possível o financiamento de soluções para demandas urgentes associadas a deficiências de infraestrutura urbana e socioambiental. Serão ações voltadas para o desenvolvimento de áreas de recreação e descanso, infraestrutura de vias e drenagem, recuperação do patrimônio histórico, fomento do turismo e moradia para famílias que vivem em áreas de risco. Outros US$ 40 milhões, como contrapartida estabelecida pela parceria do Município e do Governo do Estado.

 

Cássio afirmou que a Administração Municipal acredita que tão logo a primeira liberação de recursos aconteça, pode dar início às intervenções num período aproximado de dois meses. “Temos uma série de obras que, praticamente, começarão ao mesmo tempo. Temos uma previsão, que são obras de infraestrutura. Mas o tempo de uma para outra é diferente, mas basicamente são obras da entrada da cidade, o parque linear ferroviário dos ipes, e algumas requalificações de vias urbanas. Acreditamos que num prazo de 60 dias estejamos com as obras no início”, finalizou o coordenador da UEP/Fonplata.

 

Obras do Fonplata

 

 O projeto prevê como intervenções a modificação da entrada da cidade; construção de binários viários; pavimentação e drenagem em locais específicos, construção do Distrito Turístico portuário, obras no conjunto Padre Ernesto Sassida e o reperfilamento asfáltico de 102 quadras da cidade. Os binários serão nas rua 13 de Junho com a Dom Aquino Correia e na rua Colombo com a Cabral. Também estão programadas pavimentação e drenagem no conjunto Vitória Régia e requalificação da rua Porto Carrero; além de infraestrutura e drenagem nos bairros Guatós e Jardim dos Estados.

 

Os binários são pares de ruas, próximas umas das outras, com mão única num sentido e mão única em outro. São vias preparadas para dar grande fluxo de mobilidade.  É readequação de via já existente para que funcione com esse objetivo de mobilidade para fluir o trânsito.

 

Há ainda os projetos de requalificação da malha viária; de implantação do Parque Linear Ferroviário dos Ipês e do Parque Linear das Jaguatiricas; ciclovias; eixo Norte-Sul, Orla Fluvial e recuperação do patrimônio histórico.

 

*Missão do Fonplata tem reunião com Ruiter e conhece detalhes das obras