Prefeitura e Governo discutem 14ª edição do Festival América do Sul Pantanal

A 14ª edição do Festival América do Sul Pantanal (FASP 2017), que vai acontecer em Corumbá no período de 26 de novembro a 03 de dezembro, foi discutida pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e pelo secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Athayde Nery de Freitas Júnior, no final da manhã desta quinta-feira, 17 de agosto.

 

Athayde Nery informou ao prefeito que na noite da quarta-feira, 17, o Estado promoveu uma audiência pública para discutir o melhor formato do evento. “Fizemos a audiência pública para conhecermos as demandas, os principais encaminhamentos que devemos fazer e atrações que devemos trabalhar. Queremos fortalecer o conceito de cidadania cultural, que está focado nos pilares dos Direitos Humanos, Democracia e Paz”, disse. “O Festival vai ser um momento de junção de vários elementos. Vamos reunir os 239 anos de Corumbá e Ladário, os 40 anos de Mato Grosso do Sul e o Festival vai ganhar ares pantaneiros”, completou o secretário estadual de Cultura.

 

Na avaliação do secretário, a parceria com a Prefeitura de Corumbá para realização da edição 2017 do Festival América do Sul. “O prefeito é o grande anfitrião dessa discussão sobre a América do Sul. Corumbá se torna a capital da América do Sul, no que diz respeito à sustentabilidade, Pantanal”, ressaltou. Segundo Athayde, o grande objetivo do Governo do Estado com o FASP 2017 é deixar um legado de incentivo à cultura. “Queremos vincular o Festival às crianças e jovens. Tem que deixar um legado, não pode só vir, fazer show e ir embora”, argumentou.

 

O secretário informou ao prefeito que o Governo do Estado está autorizado a captar R$ 2,4 milhões – pela Lei Rouanet – para investimentos no FASP. Além do aporte de recursos que o próprio Estado deve dar. Ele explicou ainda que a abertura oficial do evento será no dia 30 de novembro. Mas, desde o dia 26 daquele mês, serão promovidas oficinas e atividades que devem atingir a população ribeirinha.

 

Festival revitalizado

 

Para o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, a iniciativa de abrir discussão popular em torno do Festival permite revigorar o evento. “Revitaliza o Festival América do Sul e recupera importância que tinha quando foi criado em 2004. Faz com que os diversos segmentos representativos da nossa cultura participem e se sintam, de fato, os verdadeiros protagonistas”, ressaltou.

 

Na avaliação do chefe do Executivo corumbaense, o conceito de cidadania cultural a ser trabalhado pelo FASP 2017 fará “com que jovens e crianças comecem a discutir o assunto e se interessem por cultura. É uma ferramenta importantíssima de inclusão”, disse.

 

Ruiter reforçou a parceria da Administração Municipal com o Governo do Estado para a realização da 14ª edição do Festival América do Sul Pantanal (FASP 2017). “A Prefeitura empenhada. Estado e Prefeitura juntos para através da cultura, da arte, novamente fazer de Corumbá, que já é o berço da cultura de Mato Grosso do Sul se caracterize como importante polo cultural sul-americano”.

 

Também participaram da reunião com o prefeito, o secretário-adjunto de Estado de Cultura, Tomaz Ramos, o coordenador do Festival, Rodrigo Teixeira, e o diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá, Luiz Mário do Nascimento Cambará.