Construção do Plano Municipal de Saúde conta com participação popular

Conferência para elaboração do Plano Municipal de Saúde foi aberta na tarde desta quarta-feira, 02 de agosto, no auditório do Sindicato Rural de Corumbá. Representantes dos Conselhos Municipais de Saúde e Assistência Social, APAE e servidores do Município participaram do evento que encerra o ciclo de oficinas realizadas desde maio para debater o Plano. O documento está sendo confeccionado pelo Núcleo de Planejamento da Gerência em Gestão e Operação na Saúde com ampla participação popular, ouvindo desde usuários do SUS até profissionais que trabalham diretamente com a Saúde. O novo Plano deve vigorar do início do ano de 2018 ao final de 2021.

 

“Toda administração precisa de um planejamento para elencar as prioridades e o que você tem para fazer em determinada pasta e no caso da Saúde não é diferente. É importante essa conferência com participação de segmentos de todas as áreas que fazem a rede de saúde de Corumbá. O Plano Municipal de Saúde é um instrumento para o gestor poder colocar metas e objetivos para fazer com que consigamos trazer ao município o que o SUS preconiza, que é a universalidade, equidade e integralidade no atendimento ao munícipe. Se a gente conseguir realizar todas as exigências do SUS, com certeza estaremos possibilitando um atendimento mais adequado, com mais qualidade e resolutividade em saúde”, afirmou Rogério Leite, secretário municipal de Saúde.

 

Na ocasião, cinco palestrantes tiveram a oportunidade de informar ao público sobre alguns setores da Saúde municipal. Os assuntos foram divididos em quatro grupos, sendo o primeiro sobre Núcleo de Atenção em Saúde e Gerência de Saúde Bucal. Os responsáveis pelas palestras foram Thaís Luzio Fernandes e Vanessa Delgado. No segundo grupo foi priorizada a Gerência de Vigilância em Saúde, com palestra de Mariângela Capurro. Para a palestra do terceiro grupo ficou responsável o coordenador de orçamento Márcio José Miranda Preza, que discursou sobre planejamento, gestão e orçamento. O último bloco foi sobre controle social e teve como palestrante o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ivan Espinosa Coelho. Cleber Colleone palestrou sobre os objetivos e metodologias da Conferência.

 

Cada palestrante teve cerca de 30 minutos para apresentação. Na quinta-feira, 03 de agosto, a Conferência Municipal prossegue e cada grupo realizará oficina pela manhã, onde cada área poderá discutir propostas com os participantes. À tarde, será fechado relatório final para compor o Plano Municipal de Saúde. O documento final será apresentado o mais breve possível, de acordo com Cleber Colleone, coordenador do Núcleo de Planejamento da Gerência em Gestão e Operação na Saúde.

 

“É importantíssima a participação popular na confecção do Plano Municipal de Saúde porque são eles os principais alvos dos nossos serviços. A população consegue identificar muito mais detalhadamente as situações de necessidade de cada região de nossa cidade. Nas oficinas pré-conferência, conseguimos com os trabalhadores de Saúde fazer um diagnóstico dando a primeira pincelada de como está a Saúde na visão deles e dos usuários que fazem parte do Conselho de Saúde”, afirmou Cleber Colleone.

 

De acordo com ele, foi de grande importância também a participação da gestão municipal quando realizada oficina com secretários e diretores-presidentes das fundações. “É a construção de um plano para a população de maneira participativa, como tem que ser nas democracias, em uma gestão como é a do nosso prefeito Ruiter Cunha de Oliveira”, disse Colleone que destacou que Corumbá foi um dos poucos municípios do Estado a realizar a Conferência para confecção do Plano Municipal de Saúde.

 

Para o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Ivan Espinosa Coelho, a Conferência é importante para que cada setor que forma a Saúde do Município possa, em conjunto, apontar quais devem ser as prioridades da administração pública e expor o que a população mais necessita na Saúde. “Estamos nessa conferência cooperando com o Município, trabalhando em equipe. Uma das funções do Conselho também é avaliar anualmente as ações apresentadas pela gestão municipal de Saúde, identificando o que foi feito e o que não foi possível realizar, propondo meios para que todas as metas sejam alcançadas”, afirmou Ivan.

 

Em Corumbá, foram realizadas cerca de dez oficinas pré-conferências com participação de todas as unidades de saúde e do controle social. O Plano informa aos gestores como será o investimento e onde serão aplicados os recursos da Saúde durante os próximos quatro anos, sempre os três últimos anos de uma gestão e o primeiro da próxima administração. Através do documento, há diagnóstico de como está o Município e no que devem ser injetados recursos financeiros. Por meio dele, também é possível prever a média do quanto será necessário investir no período.