Oficina de Dança apresenta espetáculo julino e encerra atividades do semestre

“A fazenda do seu Lobato” foi apresentada ao público através de grande espetáculo de dança na noite de sábado, 8 de julho. Em 18 anos de formação, pela primeira vez, a Oficina de Dança da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá realizou espetáculo julino ao público. O evento aconteceu no ginásio do Corumbense. A organização da festa teve apoio da Associação de Pais da instituição, que ficou responsável pelas barracas. Toda renda adquirida com a venda de ingressos e de comidas típicas será revertida às atividades da própria Oficina de Dança.

 

“É com muita satisfação que a gente vê o resultado do trabalho que é desenvolvido pela Oficina de Dança, um projeto social de inclusão cultural que está dando super certo. Esse ano que começamos com uma nova administração, houve mudança na coordenação, e com a Lucimeire à frente da Oficina, a gente já vê logo de início o primeiro semestre encerrar com uma festa tão brilhante, com uma participação tão expressiva, só nos dá muito orgulho e alegria de ver esse trabalho sendo realizado de uma maneira tão satisfatória”, disse Luiz Mário Cambará, diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá.

 

O espetáculo foi dividido em dois Atos, o primeiro narrando como era a vida do Seu Lobato na fazenda, um fazendeiro bem-sucedido que vivia contemplando a natureza e seus animais. Cada cena do espetáculo levava ao público a conhecer o lugar onde vivia o fazendeiro, danças que lembravam os bichos do local, as plantações, as boiadeiras e cavaleiras, até mesmo o amanhecer. Mas, o Seu Lobato teve um sonho de conhecer a cidade, e então começou o segundo Ato do espetáculo de dança.

 

A Oficina de Dança tem cerca de 700 alunos matriculados e participaram da apresentação cerca de 650. “Foi brilhante. É uma soma com toda essa equipe maravilhosa da Oficina de Dança, os professores, os alunos, cada pessoa foi peça fundamental, principalmente os pais que nos ajudaram, todas as barracas foram eles que movimentaram. Essa festa só aconteceu porque a gente se uniu em prol desses alunos e eu vejo só sucesso”, disse Lucimeire Freitas, coordenadora da Oficina de Dança.

 

Mas a história do personagem principal não acabou na cidade. Seu Lobato sentiu saudades da fazenda e se apaixonou durante um baile na roça. O espetáculo terminou com o casamento do fazendeiro, através da tradicional cena que existe em toda apresentação de quadrilha junina, com a celebração da felicidade dos noivos. “A gente mexe com o imaginário das crianças e consegue transmitir uma mensagem de luz, de paz, daquilo que a gente sente quando dança”, afirmou Lucimeire.

 

Representante da Associação de Pais e Mestres, Silvania Aquino estava responsável por uma das barracas e acredita que essa interação entre os pais, professores e coordenação da Oficina de Dança neste evento foi muito interessante. “Antes, a gente não tinha noção do trabalho que dava organizar toda a estrutura do evento. Os pais cada vez mais inteirados dos assuntos ficou mais fácil. A verba vai ser revertida para as atividades da Oficina e o espetáculo do final do ano”, disse Silvania. Foram vendidos sarravulho, pastel, carreteiro, espetinho e bobó de galinha.

 

Tanto Silvania quando sua filha Ana Clara, de 06 anos, participaram da apresentação de dança. “Acho interessante porque é a primeira vez que estou participando mesmo, estou por dentro das coisas, está sendo diferente. É muito bom a gente participar e ajudar ao mesmo tempo”, afirmou Silvania.

 

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira prestigiou a festa e afirmou que a apresentação reforça uma das tradições características de Corumbá, que é o São João. “O São João é uma tradição muito forte da nossa cultura e a Oficina de Dança, por ser o órgão máximo da representação da nossa cultura e entretenimento, fazendo essa apresentação belíssima com todas as crianças e com os pais que se apresentaram, é muito importante, primeiro porque reaviva a tradição, segundo que é um momento de entretenimento, congraçamento, de família e por isso é muito importante cada vez mais prestigiarmos e incentivarmos momentos como este”, concluiu Ruiter. O espetáculo julino encerrou as atividades do primeiro semestre da Oficina de Dança.