Em 2017, Corumbá notificou 409 casos suspeitos de dengue

A Secretaria Municipal de Saúde divulgou nesta sexta-feira, 7 de julho, o 18º Boletim Epidemiológico da Vigilância em Saúde de 2017. Segundo o levantamento, 409 casos suspeitos de dengue foram registrados na cidade neste ano até o último dia 1º de julho. Desses, 27 foram confirmados laboratorialmente.

 

A grande parte dos casos confirmados (nove ao total) estavam no Centro. No bairro Dom Bosco foram confirmados cinco casos, três no Aeroporto, dois no Centro América, um no Previsul, um no Maria Leite, um no Cristo, um na Popular Velha, um na Popular Velha e um no Nossa Senhora de Fátima.

 

O boletim atualizou ainda os números do zica vírus no município. Foram notificados 89 casos suspeitos e cinco confirmados. Com relação à chikungunya, foram notificados 65 possíveis casos e 11 confirmados. Também foram confirmados sete casos de leishmaniose visceral nos bairros Jardim dos Estados, Jardinzinho, Popular Velha, Previsul, Dom Bosco, Centro América e um óbito no bairro Maria Leite.

 

Até o início deste mês, na cidade foram confirmados por laboratório nove casos de Influenza H3 sazonal e um caso de H3 sazonal por vínculo epidemiológico. Comumente conhecida como gripe, essa é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor muscular e perda de apetite, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza.

 

A Secretaria de Saúde monitora ainda os casos de doenças diarreicas agudas. Conforme o levantamento, foram registrados 2.135 casos. Destes, 104 casos ocorreram crianças menores de um ano 521 em crianças de um a quatro anos, 208 casos em criança de cinco a nove anos e 1217 casos em crianças com mais de 10 anos.

 

Ações

 

Até o dia 1º a Prefeitura fez o bloqueio de transmissão em 1371 imóveis com a bomba costal nas micro-áreas Senai, Paiva, Clio Proença, TV Morena, Humberto Pereira, Vila Noroeste, Janjão, João de Brito, Transamérica, Aeroporto, São Bartolomeu e UPA. Foram visitados 3.189 imóveis nas atividades de rotina, onde foram feitas eliminação de focos, com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor e orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor.

 

Foi realizado manejo ambiental em todos os casos notificados. A coordenação de Controle de Vetores realizou palestra sobe Combate ao Aedes aegypti na ESF Dr. Breno De Medeiros e ação bloqueio mecânico e trabalho educativo no bairro Guanã e nas mediações da escola Vandoni.