Combate ao Aedes aegypti: agentes visitaram 4377 imóveis em uma semana

Entre os dias 9 e 15 julho, as equipes da Secretaria Municipal de Saúde de Corumbá visitaram 4.377 imóveis no trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zica vírus, chikungunya e febre amarela.  

 

Durante as visitas de rotina, foram feitas eliminação de focos com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor, além da orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor.

 

A equipe de bloqueio mecânico ainda realizou o trabalho nas micro áreas do Arthur Marinho, Cervejaria, Cerest, Senai, Rancho LG, Gastão, Aeroporto e UPA. Foi realizado manejo ambiental em todos os casos notificados.

 

De acordo com o 20º boletim epidemiológico da Vigilância em Saúde, foram notificados em Corumbá 429 casos de dengue até o dia 15 deste mês. Desses, 28 foram confirmados, sendo nove no Centro, cinco no Dom Bosco, três no Aeroporto, dois na Popular Velha e dois na Popular Velha.

 

Os bairros Maria Leite, Cristo Redentor, Popular Nova, Nossa Senhora de Fátima, Universitário, Guaicurus e Previsul confirmaram um caso de dengue cada um. A dengue é uma doença febril aguda, de origem viral e de evolução benigna na forma clássica, e grave quando se apresenta na forma hemorrágica.

 

Doenças diarréicas

 

A diarreia aguda é uma síndrome clínica de diversas etiologias que se caracteriza por alterações do volume, consistência e frequência das fezes, mais frequentemente associada com a liquidez das fezes e o aumento no número de evacuações. Com grande frequência costuma ser acompanhada de vômitos, febre, cólicas e dor abdominal. 

 

Algumas vezes pode apresentar muco e sangue (disenteria). Em geral é autolimitada, isto é, tende à cura espontaneamente, com duração entre dois e 14 dias, e sua gravidade depende da presença e intensidade da desidratação ou do tipo de toxina produzida pelo agente que provocar outras síndromes.

 

Até o dia 15, foram registrados 2.358 casos de doenças diarreicas agudas na cidade. Destes, 120 casos ocorreram crianças menores de um ano 571 em crianças de um a quatro anos, 232 casos em criança de cinco a nove anos e 1.350 casos em crianças com mais de 10 anos.