Município realiza ações de controle de doenças transmitidas por mosquitos

O último boletim epidemiológico produzido pela Vigilância em Saúde, da Prefeitura Municipal de Corumbá, aponta que até a semana 23 (de 04 a 10 de junho), 384 casos de dengue foram notificados desde o início do ano. No mesmo período, houve 84 casos suspeitos de Zika, sendo cinco confirmações, e 58 notificações de chikungunya. Até agora, neste ano, foram confirmados sete casos de leishmaniose visceral.

 

A Secretaria Municipal de Saúde tem trabalhado na prevenção a essas doenças através de ações contínuas e pontuais. Na semana 23, por exemplo, foi realizado bloqueio de transmissão em 1.358 imóveis com a bomba costal nas seguintes microáreas: Agesa, Gastão, Rancho LG, DOF, Nova Corumbá, Almirante Tamandaré, Clio Proença, Cripam, Cristo, Rotary, Aeroporto, TV Morena, Transamérica, Senai, Rancho, LG, Santos Dumont e João de Brito.

 

No mesmo período foram visitados 3.967 imóveis nas atividades de rotina, onde foram feitas eliminação de focos, com o objetivo de impossibilitar o desenvolvimento do vetor e orientação junto aos moradores para que evitem o acúmulo de materiais que possam favorecer o depósito de ovos do mosquito transmissor.

 

A Equipe de Bloqueio Mecânico realizou bloqueio nas seguintes microáreas: Cemitério, Santos Dumont, Linha Férrea, Rancho LG, Gastão, Cripam, Cristo Redentor, TV Morena, Transamérica, Aeroporto, Nova Corumbá, DOF. Foi realizado manejo ambiental em todos os casos notificados. Realizada também visita investigativa no bairro Dom Bosco, por causa de um caso suspeito de leishmaniose tegumentar.

 

Os bairros que têm apresentado os maiores números de casos de dengue, zika e chikungunya desde o início do ano são Centro, Dom Bosco, Aeroporto e Maria Leite. As três doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, que se prolifera em água parada. Já os casos confirmados de leishmaniose visceral aconteceram no Jardim dos Estados, Jardinzinho, Popular Velha, Previsul, Dom Bosco e Centro América, além de um óbito pela doença no bairro Maria Leite. A leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha, doença caracterizada por febre de longa duração, perda de peso, fraqueza e anemia, dentre outras manifestações.