Panfletagem alerta sobre violência sexual contra crianças e adolescentes

Nesta quarta-feira, 17 de maio, equipes da Secretaria de Assistência Social e Cidadania distribuíram panfletos a motoristas, motociclistas e pedestres no centro de Corumbá. A ação fez parte da campanha do Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, iniciada pela Prefeitura Municipal de Corumbá no dia 11 de maio. O objetivo foi divulgar informações sobre o que é e como acontece a violência sexual, incentivando as denúncias através do Disque 100, Conselho Tutelar ou Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS).

 

“O objetivo é a orientação e conscientização da população sobre a violência contra crianças e adolescentes relativa à exploração e ao abuso sexual. Temos dois mil panfletos para serem entregues tanto aqui quanto na entrada da cidade, no Posto Lampião Aceso, e na fronteira, no Posto Esdras, com a intenção de mobilizar a população sobre a campanha”, afirmou Márcia Cristaldo, coordenadora do CREAS de Corumbá.

 

Amanhã, dia 18 de maio, haverá passeata com saída do Poliesportivo a partir das 08h30. Os participantes vão caminhar até a Praça da Independência onde será feita mais uma panfletagem de conscientização sobre o tema. Este será o ápice da campanha promovida em Corumbá, na data em que se comemora o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 

Durante toda a semana, foram realizadas palestras em escolas públicas e privadas do município para incentivar a comunidade escolar, tanto os estudantes quanto professores e demais funcionários dessas instituições, a identificar casos e denunciá-los. Receberam essas informações alunos do 7º ao 9º ano que também participaram do Concurso de Frases com tema sobre violência sexual infanto-juvenil. A frase vencedora vai abrir a passeata do dia 18 e o seu criador vai ganhar um prêmio, a ser divulgado no dia.

 

A data

 

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos, de Vitória (ES), foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores nunca foram punidos. Com a repercussão do caso, e forte mobilização contra esse tipo de crime, a data esse se tornou o dia para que a população brasileira se una e se manifeste contra esse tipo de violência.