Município inicia campanha de vacinação contra raiva na 2ª quinzena de maio

Na segunda quinzena de maio, a Prefeitura de Corumbá, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizará a primeira campanha contra raiva. A pretensão é imunizar cerca de 23 mil cães e gatos em toda a cidade através do trabalho de equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A segunda campanha deverá acontecer no segundo semestre do ano, quando todos os animais serão novamente vacinados. Corumbá apresentou o primeiro caso de raiva animal deste ano no dia 14 de janeiro. Trata-se de um cão vacinado que atacou sua proprietária. O cachorro foi recolhido no dia 14 de janeiro, apresentando alterações neurológicas. O exame realizado no Instituto Pasteur, em São Paulo, deu positivo e foi informado ao Município no dia 25 de abril.

 

O secretário de Saúde de Corumbá, Rogério Leite, frisa que, em caso de acidentes com animais, a pessoa deve procurar ajuda médica imediatamente. “Se você for mordido por cachorro, tiver sido arranhado por gato, ou tiver tido qualquer tipo de acidente com gato ou cachorro que você não conhece a procedência, procure o pronto-socorro que você será orientado e serão feitas as medidas cabíveis que é a lavagem no ferimento, curativo e aplicado soro antirrábico”, afirmou.

 

Ele lembrou que se o animal doméstico apresentar comportamento diferente, o morador deve acionar o Centro de Controle de Zoonoses pelo telefone 3907-5579. O cão ou gato será recolhido para realização de exames. Rogério Leite destacou a importância dos donos vacinarem seus animais, a partir de quatro meses de vida, cães e gatos podem receber a dose.

 

A coordenadora da Vigilância em Saúde de Corumbá, Viviane Ametlla, afirmou que o cão infectado estava vacinado contra raiva. “Às vezes, quando se toma apenas a primeira dose da vacina, quando o cão é muito novo, pode ser insuficiente para produção de anticorpos”, explicou Viviane. É preciso que os donos estejam atentos ao comportamento do animal e acionem imediatamente o CZZ caso percebam mudanças como sintomas de apatia, raiva furiosa, salivação em excesso ou quando começar a preferir locais escuros.

 

O vírus da raiva detectado no cachorro é o proveniente de morcegos hematófagos. Ela disse que o cão apresentou comportamento diferente e a proprietária entrou em contato com o CZZ. “Quando a carrocinha foi pegar o animal, ele mordeu a dona”, disse Viviane Ametlla. Imediatamente após o ataque, a prefeitura forneceu o tratamento preventivo à moradora.

 

Prevenção na fronteira

 

Rogério Leite afirmou que na região de Puerto Quijarro, cidade boliviana de fronteira, já foram detectados 40 casos de raiva animal. “É uma situação muito difícil. Temos que fazer essa vigilância em fronteira, ajudá-los, porque com certeza esse vírus circulando do outro lado vai acabar passando para cá. Nós temos que dar esse suporte porque essas doenças que não causam mais surto na nossa cidade, mas são endêmicas no município, acabam ocasionando um surto se não fizermos esse controle na fronteira. Nós temos que fazer esse trabalho mútuo para tentar ajudar a saúde da própria cidade de Corumbá, tanto na área de Raiva quanto na de leishmaniose”, disse o secretário municipal de Saúde.

 

Com relação à leishmaniose, Rogério Leite afirmou que profissionais brasileiros da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) estiveram em Corumbá na penúltima semana de abril. Por uma semana, esses técnicos permaneceram na Bolívia acompanhados pelo setor de Vigilância em Saúde daquele país. O intuito foi ensinar os estrangeiros sobre métodos de coleta do material, como identificar os animais doentes e como fazer possível tratamento. Esclarecimento sobre os criadouros do mosquito transmissor da doença também foi oferecido.

 

Serviço: O Centro de Controle de Zoonoses (CZZ) fica localizado na rua João B. Couto s/nº – Guanã. Horário de atendimento das 07h às 11h e das 13h às 17h.