Fundação de Turismo do Pantanal inicia ciclo de palestras em escolas

Para incentivar a valorização e conservação dos pontos turísticos de Corumbá, a Fundação de Turismo do Pantanal iniciou ciclo de palestras em escolas na tarde de quarta-feira, 24 de maio. Estudantes do 9º ano da Escola Municipal Luiz Feitosa Rodrigues receberam a primeira apresentação e foram informados sobre a história e a importância de locais como o Casario do Porto, Estrada Parque, Museu de História do Pantanal, Praça da Independência, Praça da República, Cristo Rei do Pantanal, e de eventos como o Arraial do Banho de São João, por exemplo.

 

As palestras serão realizadas em todas as escolas, sejam municipais, estaduais ou particulares. “O objetivo é envolver a população e sensibilizá-la, a partir da escola, sobre a importância do turismo como fator de desenvolvimento para a comunidade. Vamos mostrar aos estudantes os atrativos da cidade porque, às vezes, as pessoas moram aqui, mas não conhecem a cidade, isso está demonstrando nas pesquisas que fizemos”, disse Carlos Augusto Espíndola, gerente de Políticas de Turismo da Fundação de Turismo do Pantanal.

 

De acordo com ele, há estudantes que nunca foram à Estrada Parque e ainda não contemplaram a cidade do mirante do Cristo Rei do Pantanal. “Tem gente que nunca desceu no Porto Geral e não conhece nossas belezas. Se você não conhece, você não valoriza. Para que haja o desenvolvimento, é preciso que haja o envolvimento das pessoas”, afirmou Carlos Augusto.

 

A proposta é levar conhecimento especialmente para estudantes do Ensino Fundamental e Ensino Médio. No entanto, outros segmentos como taxistas, rede hoteleira, mototaxistas, associações de bairros e Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) também vão receber palestras. Informações sobre turismo pesqueiro, ecológico e cultural estão sendo repassadas.

 

Conforme Carlos Augusto, essa atividade não tem data para acabar e pretende ser trabalho contínuo no município. Conforme ele, os atrativos mostrados aos alunos são gratuitos e abertos à população, muito embora não sejam tão visitados pelos moradores quanto são pelos turistas. “A gente quer que visitem, valorizem e, acima de tudo, preservem, porque é um bem público”, disse.

 

Cristiane Campos dos Santos Openkowski, coordenadora-pedagógica da Escola Municipal Luiz Feitosa Rodrigues, acredita na importância da iniciativa. “Acho isso muito interessante. Desde o ano passado, a escola já está fazendo esse trabalho de divulgar esses pontos turísticos. Às vezes, os alunos só ouvem falar, mas não conhecem de verdade o que a cidade tem de atrativos turísticos. Muitas vezes, os turistas têm mais informações do que nós mesmos que fazemos parte dessa realidade. O aluno sai com os pais, visualiza os Casarios, por exemplo, mas não entende a importância e acaba acontecendo de os turistas valorizarem o local mais do que eles”, afirmou.

 

O estudante Davi Lucas da Costa Cavalcante, de 15 anos, mesmo sendo corumbaense, confessou desconhecer alguns dos locais mostrados na palestra. Um deles é a Estrada Parque. “Pretendo um dia conhecer”, disse Lucas. “Eu sei que temos que preservar os nossos atrativos turísticos porque, se não, eles se acabam. Acho interessante os turistas conhecerem nossa cidade”, comentou o estudante. Quando questionado sobre o lugar turístico que acha mais bonito em Corumbá, foi enfático: “O Porto Geral”.