Em 100 dias, Saúde Pública de Corumbá avançou em vários aspectos

Quando assumiu a administração da Prefeitura de Corumbá, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e sua equipe encontraram diversos problemas nos serviços oferecidos à população. Na Saúde, o responsável pela pasta, Rogério Leite, detectou equipes incompletas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), áreas descobertas por agentes comunitários, postos com problemas estruturais e insalubres, serviços suspensos, falta de remédios e a Santa Casa sem receber os meses de novembro e dezembro dos repasses municipais.

 

Entre janeiro e abril, vários aspectos foram solucionados, como o repasse para o hospital, o aumento das áreas com cobertura dos agentes de saúde, melhoria nas UBS Luiz Fragelli e a ampliação do funcionamento das UBS Paulo Maissato e Pedro Paulo.

 

A Prefeitura providenciou ainda a reativação do Raio X da Nova Corumbá e o aparelho de Mamografia. Também reativou o serviço de urgência e emergência 24 horas na área odontológica no Pronto Socorro, suspenso há anos. A Secretaria de Saúde fez também a recuperação de veículos e notificou as empresas que estão com obras paralisadas (Centro de Saúde da Mulher, Centro de Saúde da Ladeira e Laboratório Municipal).

 

Hoje a Central de Regulação atua de forma ativa e dinâmica, possibilitando o fluxo adequado de consultas com especialistas e a realização de exames pelo munícipe, diminuindo assim a fila que existia. No Centro de Oncologia, dois médicos especialistas agora residem na cidade, o que deu mais agilidade e qualidade no serviço. Houve ainda o chamamento do concurso público vigente para formação das equipes de saúde, como médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, biólogo e dentistas.

 

Na maternidade, a implantação da Rede Cegonha possibilitou a interligação entre toda a rede de serviços. Um médico obstetra fará o acompanhamento das gestantes com idade gestacional de 28 a 34 semanas.

 

A Prefeitura iniciou o serviço de castração gratuita de cães e gatos em parceria com o GAPA, adquiriu um veículo para o programa DST/Aids e hepatites virais, publicou portaria sobre a Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência, reativou a vacinação antirrábica na zona rural (suspensa há 3 anos), e reforçou a parceria com as Forças Militares para o combate ao Aedes aegypti.