Desafio é levar cultura para todas as classes sociais, afirma Cambará

Criada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, a Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá tem dois objetivos principais: difundir, fomentar e diversificar ações culturais por toda a cidade e preservar o rico conjunto de bens materiais da região. A pasta é chefiada pelo administrador Luiz Mário do Nascimento Cambará, que já no início da gestão teve a responsabilidade de coordenar a maior festa popular de Mato Grosso do Sul. 

 

“O maior desafio, sem dúvida, foi a organização do Carnaval de Corumbá. A gente mal assumiu e já demos de cara com esse desafio. Tenho experiência de carnaval, mas é em bloco, em escola de samba, mas de gerenciar essa festa gigantesca é totalmente diferente. Foi um desafio complicado, mas que superamos da melhor forma possível”, afirmou.

 

Com um amplo leque de equipamentos, a Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico trabalha para democratizar a cultura por toda a cidade. “Temos projetos para fomentar a cultura em todos os seus aspectos, na parte literária, na parte de artes cênicas, plásticas, dança e música. Nosso principal desafio é levar cultura para todas as classes”, destacou o diretor-presidente.

 

“Temos que fazer a inclusão cultural, fazer com que todas as pessoas tenham acesso à cultura de uma forma geral, desde os mais humildes aos mais privilegiados”, reforçou Cambará. A Semana da Dança, que começou na segunda-feira e se estende até o dia 29, é um exemplo da política democrática adotada por toda a gestão municipal.

 

Integrantes da Oficina de Dança do Pantanal estão se apresentando em escolas e em locais nunca antes atendidos por programa semelhante, como o Asilo, a Unei, o Presídio e o Centro de Oncologia.

 

“Temos ainda a Casa do Dr. Gabi, que é uma casa de memória aberta à visitação e que conta toda história de Gabriel Vandoni de Barros. Também temos um museu que funciona no ILA, a Casa do Artesão, a Banda de Música Manoel Florêncio, a Academia de Música, o Coral, enfim, temos todos esses equipamentos para trabalharmos e aproximá-los da população”, finalizou Luiz Mário.