Terça-feira foi de tradição, nostalgia e alegria com o Carnaval Cultural de Corumbá

Após um mês inteiro de ações voltadas ao maior e melhor carnaval da região Centro-Oeste, a folia foi encerrada com o revival dos antigos carnavais corumbaenses. As manifestações culturais momescas que fazem parte do calendário nacional de eventos, bem como são consideradas patrimônio cultural imaterial do Mato Grosso do Sul, atraíram cerca de 40 mil pessoas à cidade.

 

Na terça-feira de Carnaval, quem abrilhantou a Passarela Pantaneira do Samba foram as Pastorinhas, os Marinheiros, Bloco do Frevo, desfile dos carros antigos (corso); cordões carnavalescos; a apresentação especial do Bloco da Bolívia e o Bloco dos Palhaços, que coloriu a avenida General Rondon.

 

 O público que prestigia cada ano mais o carnaval cultural entrou no clima e ovacionou as apresentações. Dentre elas, o desfile dos cordões que tem uma importância histórica e é fielmente reproduzido por foliões corumbaenses. Na cidade quatro cordões representam a vivacidade da cultura, são eles: Paraíso dos Foliões, Cinelândia, Flor de Corumbá e Cravo Vermelho.

 

Após a passagem dos cordões, as tradições do carnaval boliviano também foram apresentadas. Com muita alegria e descontração, o Bloco dos Palhaços encerrou a festa na passarela do samba. “Valorizar a tradição popular também é nossa prerrogativa, pois o Carnaval de rua, de cordão, está no sangue do corumbaense”, afirmou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira.

 

O diretor-presidente da Fundação da Cultura e Patrimônio Histórico de Corumbá, Luiz Mário Cambará, destacou a essencialidade de manter viva as tradições da região. “É um resgate histórico dos costumes do Carnaval de Corumbá porque é importante resgatar e preservar nossa essência. Isso é fundamental para mantermos nossos costumes sempre vivos”, comentou.

 

Na praça Generoso Ponce, o show popular recebeu a atração nacional vinda do Rio de Janeiro. A Bateria Batuque Digital, formada por um conjunto de ritmistas, entrou em cena como uma verdadeira bateria de escola de samba. O show trouxe evoluções e harmonias numa mistura com músicas e bases do DJ, em números ricamente ensaiados de ‘hits’ e clássicos da House, Dance Music e outros ritmos.

 

Para encerrar a noite, já na quarta feira de cinzas, Binho e Banda, também vindos da cidade do Rio de Janeiro fez o grande público dançar sem parar.