Projeto Rondon volta a Corumbá no começo do ano que vem

Corumbá voltará a receber equipes do Projeto Rondon no ano que vem.   O retorno dos estudantes, que integram esse programa do Ministério da Defesa, foi discutido pela Prefeitura Municipal e coordenação geral da ação. O secretário Municipal de Governo, Cássio Augusto da Costa Marques, representou o Executivo na reunião com o coordenador do Projeto Rondon, tenente-coronel Alexandre Teixeira Camillo.

 

Pelo cronograma da Operação Mato Grosso do Sul, do Projeto Rondon, as equipes atuarão em Corumbá no período de 22 de janeiro a 02 de fevereiro de 2018.  O acordo de cooperação entre Ministério da Defesa e Prefeitura de Corumbá será assinado em setembro deste ano. Ele estabelece que a Prefeitura fica responsável pelo alojamento (com fornecimento de colchões), alimentação e transporte das equipes no interior do município.

 

O secretário de Governo, Cássio Augusto da Costa Marques, destacou que a vinda das equipes de Rondonistas é importante para a cidade. “O Projeto Rondon tem como objetivo proporcionar intercâmbio entre diferentes culturas do Brasil. Os universitários que vêm oferecem capacitações aos funcionários da Prefeitura e também promovem ações de apoio à nossa comunidade”, disse.

 

O Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa, prima pela integração social. Envolve a participação voluntária de estudantes universitários na busca de soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes e ampliem o bem-estar da população. É realizado em parceria com diversos Ministérios e tem o apoio das Forças Armadas, que proporcionam o suporte logístico e a segurança necessários às operações. Conta, ainda, com a colaboração dos Governos Estaduais, das Prefeituras Municipais e de empresas socialmente responsáveis.

 

São objetivos do projeto, contribuir para a formação do universitário como cidadão; integrar o universitário ao processo de desenvolvimento nacional, por meio de ações participativas sobre a realidade do País; consolidar no universitário brasileiro o sentido de responsabilidade social, coletiva, em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais; estimular no universitário a produção de projetos coletivos locais, em parceria com as comunidades assistidas.