No mês da Mulher, CRAS III e CRAM debatem empoderamento feminino

Famílias atendidas pelo CRAS III assistiram a uma palestra na tarde da quinta-feira, 16 de março, que abordou o tema da violência contra a mulher. A iniciativa foi da Secretaria Especial de Especial de Cidadania e Direitos Humanos e fez parte das ações realizadas pelo Município para celebrar o mês da Mulher. O CRAS III tem 380 famílias cadastradas e atende as regiões da Cervejaria, Beira Rio, Arthur Marinho e Generoso.

 

A palestra foi promovida por profissionais do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM). “Destacamos a autoestima e o empoderamento. Se elas estiverem com autoestima elevada, dificilmente vão permitir qualquer tipo de violência, seja psicológica ou física. Ela vai estar segura de tudo”, disse a psicoterapeuta e coordenadora do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAM), Rosiene do Espírito Santo Mauro.

 

O testemunho de uma vítima de violência que, com apoio dos profissionais do CRAM, conseguiu solucionar o problema e se tornar independente foi apresentado às famílias do CRAS III. “Foi uma atendida nossa, ela conseguiu romper esse ciclo de violência psicológica e não deixou passar para outro tipo de violência”, contou a coordenadora do CRAM.

 

Mapeamento do Ministério Público Estadual (MPE) apontou que entre 2013 e 2016, aproximadamente 15% dos casos de violência contra a mulher em Corumbá aconteceram na área classificada como centro da cidade, considerando as regiões do Beira Rio e Borrowski. 


Proteção social

 

O CRAS III – assim como toda a rede dos CRAS – faz um amplo trabalho de proteção social básica, fortalecimento de vínculos e prevenção. “Todas as atividades aqui são em torno do vínculo familiar. Temos oficinas com famílias, trabalhos com geração de renda, atividades com crianças de zero a 17 anos, grupos inter geracionais de 18 a 59 anos e grupos de idosos”, informou a assistente social Marcelle Andrade Teixeira, coordenadora do CRAS III.