Assembleia também reconhece a preocupação de Ruiter com patrimônio histórico

Durante a cerimônia de entrega da Rosa de Ouro, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, foi homenageado pelo reconhecimento oficial da catedral da Nossa Senhora da Candelária, como Patrimônio Histórico e Cultural do Município, e também recebeu uma Moção de Congratulação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. “A Catedral tem um valor inestimável para a história do antigo Mato Grosso e é nosso dever tornar este reconhecimento público com o tombamento histórico”, afirmou.

 

Um dos homenageados com a Rosa de Ouro foi o deputado estadual Paulo Siufi que, na oportunidade, aproveitou para entregar a segunda homenagem da noite ao prefeito de Corumbá. Ruiter recebeu a Moção de Congratulação da Assembleia Legislativa por ter declarado a catedral Nossa Senhora da Candelária como patrimônio histórico e cultural do município de Corumbá, devido ao seu valor histórico. “Esta homenagem foi aprovada com unanimidade pelos deputados, o trabalho que o Ruiter tem desempenhado é notável”, comemorou Siufi.

 

Construída em 1885, é considerada o templo mais antigo do Mato Grosso do Sul, a catedral vai receber investimentos do Governo do Estado, cerca de R$ 300 mil até abril, para a obra de iluminação e fiação elétrica do templo. “Estamos muito felizes com o reconhecimento público do valor histórico da catedral”, reconheceu o cônego Fábio Vieira.

 

Durante sua fala, o deputado estadual anunciou ainda que, em breve a catedral Nossa Senhora da Candelária será patrimônio histórico do Mato Grosso do Sul. “Há o compromisso do governador Reinaldo Azambuja em viabilizar o tombamento, para que aconteça rapidamente”, complementou Siufi.

 

O empenho do gestor de Corumbá em tombar prédios históricos do Município fomentou a reativação do PAC Cidades Históricas, um feito inédito. Estima-se que R$ 19 milhões serão destinados pelo Governo Federal à restauração de sete locais: prédio da antiga Prefeitura, Comissão Mista, ILA, Hotel Internacional, Catedral Nossa Senhora da Candelária, praça Uruguai (antigo Mercadão) e Casa do Artesão.

 

“O Iphan identificou pendências nos projetos e assim que forem sanados, poderemos acessar os recursos”, explicou o secretário de Infraestrutura do Município e responsável pela obra na catedral, Ricardo Ametlla.