Prefeitura busca parcerias e ações para valorizar setor mineral de Corumbá

Buscando valorizar e ressaltar Corumbá como a maior cidade mineradora do Estado, o secretário Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural, Renato dos Santos Lima, participou nessa segunda-feira, 20 de fevereiro, de uma reunião sobre o segmento com o presidente da FIEMS, Sérgio Longen, e o deputado estadual, Paulo Correa, presidente da Comissão de Turismo, Indústria e Comércio na Assembleia Legislativa de MS. 

 

Durante o encontro, feito a partir de um pedido do prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira, Renato destacou os principais problemas enfrentados pelas empresas extrativistas em Corumbá, entre eles as questões logísticas e de infraestrutura.

 

“Ficou combinado que, em abril ou maio, será realizada na cidade uma audiência pública com a participação da Prefeitura, Assembleia Legislativa, a Fiems e a Vale, para que juntos possamos discutir in loco os desafios encontrados pelo setor mineral na região”, explicou.

 

A intenção é dialogar com as empresas locais, juntamente com o Sindiecol (Sindicato das Indústrias Extrativistas de Corumbá), para que o poder público, em parceria com demais entidades, possa dar a merecida atenção à atividade mineradora. “Devemos não cometer o mesmo erro de não valorizar o segmento. Corumbá é a responsável pela arrecadação de 80% do CEFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais) de todo o estado de Mato Grosso do Sul). Precisamos dar ênfase à isso”, afirmou Renato. 

 

O assunto também foi uma das pautas da 2ª rodada dos “Encontros Setoriais da Indústria – Compromisso com o Desenvolvimento”, realizada também nesta segunda-feira (20), no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS). O evento contou com a participação dos sindicatos industriais que integram a cadeia produtiva da construção civil, da cerâmica e extrativa mineral, reuniu empresários e trabalhadores.

 

No encontro foi firmado um objetivo em comum de demonstrar união contra a revisão dos incentivos fiscais para a indústria e a criação do Fundo Estadual de Estabilidade Fiscal, que obrigaria as empresas beneficiadas a contribuírem com 10% do que deixam de pagar de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). 

 

Também presente no evento, o presidente do Sindiecol, Edemir Chaim, solicitou ao presidente da Assembleia Legislativa que interceda pelos empresários. “Estamos passando por um momento muito difícil em nosso País e precisamos de união. União dos nossos governantes, da classe empresarial e do trabalhador, porque o empresário não pode ser penalizado porque o Governo Federal não fez a lição de casa”, avaliou o presidente. 

 

Ainda serão realizadas mais duas rodadas dos “Encontros Setoriais da Indústria – Compromisso com o Desenvolvimento” nos dias 6 e 13 de março, sempre no período noturno, a partir das 19h30, e no auditório do Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS). No dia 6 de março será realizado a 3ª rodada, organizada pelos sindicatos das indústrias metalmecânicas, plásticas e moveleiras.

 

A 4ª e última rodada dos “Encontros Setoriais da Indústria” está agendada para o próximo dia 13 de março e será realizada pelos sindicatos das indústrias de alimentos e bebidas, frigorífica, panificação e laticínia. Os eventos são organizados pelo Sindivest/MS, Sindigraf/MS, Sindical/MS, Sinduscon/MS, Sindicer/MS, Siams, Simemae/MS, Sindepan/MS, Sindimad/MS, Sicadems, Silems, Sindiplast/MS, Sindiecol e Biosul.

 

Com informações da assessoria de imprensa da FIEMS