Acadêmicos do Pantanal transformou a avenida em grande e animado bar

O desfile da Acadêmicos do Pantanal trouxe para a avenida um tema muito apreciado pelo brasileiro: a vida boêmia e os bares da cidade, através do enredo “Bar Brasail – um mundo à parte e único”.

 

Apresentando a proposta de todo o desfile, a comissão de frente veio com oito componentes encenando o trabalho do garçom, peça chave para o funcionamento de um bar. Para o carro abre-alas nada melhor que uma boa ‘cerveja gelada’ que junto com o malandro da noite deu um toque irreverente para o início da passagem pela avenida.

 

Da primeira à sexta ala e, da nona a décima segunda, foram colocados em evidência as bebidas mais populres pelo Mundo: conhaque, champagne, refrigerante, licores, tequila, cachaça, rum, uísque, caipirinha,vinho, vodka e coquetéis. A sétima ala representou a jogatina, tratada pela escola como um bom pretexto para a embriaguês. Já a oitava ala enfatizou a importância dos petiscos para acompanhar o happy hour de cada dia.

 

As baianas vieram homenageando o coquetel de frutas. Com roupas detalhadas em vermelho e verde, bem como com tecido branco de frutas, as integrantes trouxeram a combinação da bebida com duas ou mais bebidas alcoólicas ou não.

 

O requinte do uísque foi apresentado pela madrinha de bateria, Telma Bruno e pelos 60 ritmistas, comandados pelo mestre José do Vitória Régia. As cores vermelho, branco e dourado ajudaram a detalhar um pouco mais sobre a bebida que é destilada de grãos e envelhecida em barris.

 

Os carros alegóricos chamaram à atenção porque em sua maioria, também remetiam a bebidas, tais como: tequila e cerveja. O penúltimo carro veio retratando a música de bar, tanto aquelas pedidas para o divertimento, quanto aquelas pedidas para o choro das mágoas.

 

O casal de mestre sala e porta bandeira, Marcelo e Joyce desfilaram representando a famosa dupla de café e água. Fantasias recheadas de detalhes encheu os olhos do público.

 

Fechando o desfile, o quarto carro intitulado de Bandeiras, trouxe à sua frente o Anjo da Guarda. Confeccionado nas cores verde, amarelo, azul, branco, a última alegoria simbolizou a bandeira do Brasil. A ideia para a finalização da passagem pela passarela do samba surgiu da tradicional reunião de amigos em bares para assistir jogos de futebol.

 

Em seu destaque, a presidente da agremiação, Jackelyny Pazzolyny representou a fantasia festa das bandeiras.


FICHA TÉCNICA

Nome: G.R.E. S ACADÊMICOS DO PANTANAL

Fundação: 21 DE JULHO DE 2001

Presidente: Fernando Willian da Costa

Cores: verde, branco, azul e amarelo

Carnavalesca: Jackelyny Pazzolyny

Enredo: “Bar Brasil –um mundo à parte e único’.

Samba- Enredo: “Bar Brasil –um mundo à parte e único’.

Compositor: Ailson Renan e Reinaldo Bah e João Marcos.

Puxador (ES): Flavinho do cavaco, Alex da Pantanal, Lourenço e Robinho

Número de componentes: 700

Comissão de Frente: 8 componentes

Número de Alas: 11

Número de Carros Alegóricos: 4

Mestre de Bateria: josé do Vitoria Regia

Componentes da Bateria: 60 ritmistas

Porta Bandeira: Joycy

Mestre-Sala: Marcelo

Número de Baianas: 16

 

LETRA

 

De gole em gole vou me enchendo de alegria

No meu pileque faço um carnaval

Vem pro meu bar, vista sua fantasia

Na ACADÊMICOS DO PANTANAL

De sol a sol

Domingo a domingo

Vinte e quatro horas de lazer

Bar Brasil

É um convite ao prazer

Tem modesto e sabido

Recatado e atrevido

Como em qualquer lugar

A democracia em seu estado original

Todo mundo fala, todo mundo briga

E ninguém se leva a mal

 

Enche o copo, seca copo

Na bebida que eu me enrosco

Tira gosto pra acompanhar

Na tela um grito de gol, de gol

Quem será que vai ganhar?

Garçom, traga logo essa rodada

A bebida e barata e tem variação

Viajando na cachaça

Pego um avião a jato

E me vejo no Japão

Gaita de fole tocando na minha mente

Joga essa aguardente com açúcar e limão

 

Eu bebo sim

Estou vivendo

Tem gente que não bebe e está morrendo.