Comercialização de quadros rende dinheiro extra para pacientes do CAPSad

Os pacientes do CAPSad receberam nesta terça-feira, 21 de junho, o dinheiro arrecadado com a venda dos quadros que ficaram expostos na Prefeitura de Corumbá. O projeto foi uma parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde e a Fundação de Cultura. As telas foram produzidas com a orientação do artista plástico Jamil Canavarros.

 

“A gente verificou que a cultura, o trabalho artístico, fez com que fosse percebido um talento que nem eles sabiam que tinham. Então a parceria com a Fundação de Cultura, com a presença do professor Jamil aqui, evoluiu muito os pacientes. Evoluiu muito a consciência deles, trouxe a questão da responsabilidade, porque eles querem estar no grupo então estão sempre no horário certo, participam com compromisso, com vontade”, afirmou a coordenadora municipal de Saúde Mental, Silvia Segóvia Freire.

 

“Quando a gente consegue ver o resultado das oficinas, que no caso da pintura foi a elaboração e confecção das telas e posteriormente a venda, a gente consegue mostrar pra eles, o potencial de cada um. E isso é muito importante porque, nesse momento que estamos vivendo hoje, é parte do processo de reinserção social. Na verdade eles produzem um trabalho que é revendido e o dinheiro é revertido para eles. Isso é muito importante. Esse é um momento muito valido para todos nós”, continuou Silvia.

 

Uma das telas, inclusive, foi exposta no Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. “Essa tela foi exibida no estante do COSEMS e foi sorteada no final do evento. Foi algo bem legal, pois todos que passaram por lá acharam o trabalho maravilhoso, tanto que conversei com coordenação e no próximo congresso vamos apresentar melhor nosso trabalho. Não só a tela, como também outros materiais realizados aqui”, disse a secretária municipal de Saúde, Desiane Pires.

 

Em Corumbá, o CAPSad conta com duas psicólogas, uma assistente social, duas técnicas de enfermagem, um enfermeiro, uma terapeuta ocupacional, um motorista, um clínico geral e uma médica psiquiátrica. A unidade, localizada na rua Cabral, entre 7 de Setembro e a 15 de Novembro, funciona de segunda a sexta-feira, e disponibiliza atendimento psicoterapêutico individual, atendimento em grupo, oficina terapêutica, grupos temáticos, visitas domiciliares e atendimento medicamentoso.

 

“A nossa media diária é de 30 a 35 pacientes. Temos uma parceria com AA (Alcoólicos Anônimos), e com o NA (Narcóticos Anônimos) estamos iniciando, começando a caminhada”, explicou a coordenadora da unidade, Marciliane de Melo Oliveira. Os pacientes também realizam diversos outros trabalhos manuais, tudo parte do processo de reinserção social e familiar.