Casa do Dr. Gabi: Corumbá ganha espaço para preservação da memória e cultura

A emoção tomou conta da cerimônia de abertura da Casa de Memória Dr. Gabi, na noite desta terça-feira, 28 de junho. A residência, de estilo eclético, localizada na esquina das rua XV de Novembro e Cuiabá, na área central, foi revitalizada pela Prefeitura Municipal de Corumbá com o apoio de empresários e profissionais liberais da cidade.

 

A construção, que permaneceu décadas fechada, estava nos últimos anos deteriorando-se, juntamente com os bens que ajudam a contar muito da história de Gabriel Vandoni de Barros, personalidade corumbaense que enveredou-se por vários campos de atuação: advogado, jornalista, escritor, político, pecuarista, benfeitor da cultura pantaneira e da educação das crianças.

 

“A Casa de Memória Dr. Gabi tornará se um convite ao mergulho na história que remonta dias de glória de nossa gente. Essa data ficará na história do cooperativismo, pois foi por meio de esforços que esse sonho tornou-se realidade. Essa casa passa a integrar o vasto patrimônio cultural do povo corumbaense, eternizando o legado e mecenato de Dr. Gabi e de dona Neta”, disse Joílson Cruz, diretor-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, sem esquecer da importante figura de Augusta Gomes da Silva de Barros, mais conhecida como Dona Neta, esposa do Dr. Gabi.

 

Joílson destacou o intenso trabalho realizado durante seis meses para revitalizar a casa, após a conclusão do processo de desapropriação ocorrido por empenho da gestão do prefeito Paulo Duarte. Ele também não se esqueceu de outra importante figura para a cultura corumbaense, com quem esse projeto nasceu.

 

“Esse sonho começou com minha eterna amiga Heloísa Urt a quem dedico esse conquista e tenho certeza de que onde está continua lutando pela perpetuação de nossas manifestações culturais”, disse em homenagem.

 

Datada de 1940, a casa teve atenção especial FUPHAN (Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico) que ajudou a definir, entre outros elementos da revitalização, a paleta de cores utilizado na construção de forma a evidenciar a arquitetura, na parte externa, e o mobiliário, na parte interna.

 

“A Casa do Dr. Gabi foi um grande exemplo de parcerias que deram certo. Lutamos pela preservação do patrimônio histórico de Corumbá e, ao entrar aqui na casa, ver o carinho que tratamos nossos bens culturais. O trabalho não para, estamos catalogando os bens e documentos que estão no interior da casa”, afirmou Maria Clara Scardini, diretora-presidente da FUPHAN.

 

O prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, frisou uma das marcas do seu Governo, que é a conservação e preservação do patrimônio cultural e histórico e disse ainda que o momento econômico por qual atravessa o país não deve ser empecilho para frear projetos importantes para a população.

 

“Quando não tem dinheiro, tem que ter criatividade credibilidade para chegar nesse momento. Temos que falar também de dona Neta que esteve sempre ao lado de Dr. Gabi, seja na área da cultura ou no social. Essa casa está sendo entregue e a história e a memória de nossa cidade vai ter vida, não é somente recuperar a parte arquitetônica e é isso que a gente quer fazer. A vida é feito de ciclos e não é um saudosismo puro e simples, temos aqui algo muito importante, que é a história que ninguém tira para que tenhamos um presente virtuoso e perspectiva de futuro, temos que preservar a nossa história”, avaliou o chefe do Executivo.

 

Entre empresas e pessoas físicas que ajudaram em todo esse processo de revitalização estão: Malo Alimentação e Serviços Ltda; JM Neiva; Santana Tintas; Maria Lúcia Calábria Rocha – Morocha; Restaurante Rodeio; vereador Luciano Costa; EletroCorumbá Eletrificações; Engenharia BVC, Carlos Rocha, Dr. Ulisses Medeiros; Dr. Nabil Omar; empresário Luís Martins; Cátia Rufino Costa, além de pessoas ligadas à Administração Municipal.

 

De portas abertas para todos

 

O professor e historiador João de Carvalho foi uma das pessoas que esteve presente na inauguração. Conhecedor de vários detalhes da história de Corumbá, ele exaltou a entrega de importante espaço para a população.

 

“A atitude tomada pelo Poder Público foi o resgate de uma memória muito importante para nós corumbaenses porque o Dr. Gabi foi uma espécie de mecenas, um protetor da cultura e da educação, ela tinha grande paixão por tudo ligado à cultura. Sua moradia, hoje, torna-se referência para todos nós corumbaenses. Vamos dar apoio ao prefeito e todos que participaram dessa ação para que esse espaço dê continuidade ao desenvolvimento cultural de Corumbá”, declarou.

 

Adélia Moreira manteve um comércio em frente à Casa de Dr. Gabi por muitos anos. A senhora não sabia da revitalização do espalo, pois estava em Campo Grande para um tratamento de saúde, mas, no dia que ela retornou a Corumbá, foi surpreendida pela revitalização.

 

“Lá em Campo Grande mesmo, me perguntaram da casa e eu afirmei que estava do mesmo jeito, se acabando e, para minha surpresa, hoje, ela está aqui linda, toda bem cuidada, isso nos causa muita emoção”, contou.

 

A professora doutora Rosangela Villa da Silva, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, vê com excelentes olhos a atitude da Prefeitura de Corumbá. Sabedora da importância das Letras, curso onde possui cadeira, a professora se encantou com um dos cômodos mais fantásticos: a biblioteca.

 

“Essa casa realmente é uma herança deixada para os corumbaenses e a abertura desse espaço vem contemplar uma necessidade da população em ter uma casa representativa de uma personalidade tão importante como foi o Dr. Gabi, um homem das Letras, dos livros e que incentivava as crianças à leitura. Esse contato físico com o livro é muito importante. Corumbá só tem a ganhar com essa iniciativa de abrir essa casa onde poderemos aprender as histórias de Corumbá”, falou.

 

Entre autoridades, amigos e população que esteve presente na entrega da Casa de Memória, destacam-se escritores como Augusto Casar Proença e Moysés dos Reis Amaral.

 

Biblioteca é um dos cômodos mais interessantes da Casa (Foto: Renê Marcio Carneiro)

 

Dom Quixote do Pantanal


Falecido em 1988, além de sua atuação no Direito cuja formação acadêmica deu-se na Faculdade de São Paulo, ele administrou fazendas da família, vivenciou a vida política como deputado constituinte e não manteve-se longe da sua paixão: as Letras e as Artes em geral. Ele ainda desempenhou a função de jornalista e escritor, algo que se concretizou na biblioteca, um dos espaços mais incríveis dentro da casa que a Prefeitura de Corumbá está restaurando com a ajuda de parceiros privados.

 

Por vários cômodos da casa, a paixão de Dr. Gabi por um dos mais emblemáticos personagens da Literatura Mundial, Dom Quixote de la Mancha, se faz presente, seja em esculturas, em dizeres entalhados nas paredes e quadros, em frequência semelhante que objetos de mesma natureza estampam São Francisco de Assis, aquele que parece ser seu santo de devoção.

 

Miriam da Costa Carvalho, que há 46 anos conviveu com o casal Gabriel Vandoni de Barros e Augusta Gomes da Silva de Barros, foi importante ajuda para organizar o mobiliário e objetos da Casa de Memória Dr. Gabi. El contou o motivo dessa paixão pelo personagem de Miguel de Cervantes.

 

“O Dom Quixote era das epopéias que ele mais admirava. A figura desse personagem para ele remetia a Cristo que queria transformar o mundo e não conseguiu e morreu. Tudo o que ele achava sobre Dom Quixote adquiria”, contou.

 

No interior da casa, os móveis talhados com muitos detalhes fazem de cada peça uma obra de arte que dividem espaços com esculturas de Maria Gattas, telas de Jorapimo e Hebe Lacerda para se ter uma ideia da preciosidade que a casa guarda em termos da arte local.

 

Além de ficar aberta para visitação, a Casa de Memória Dr. Gabi abrigará a sede da Fundação de Cultura de Corumbá.