Caravana da Juventude começa pelo Centro América e vai até a zona rural

Lançada no dia 07 de junho, a I Caravana da Juventude vai permitir levar serviços para os jovens e adolescentes corumbaenses residentes na área urbana e também na zona rural. O projeto é uma realização da Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, sob a coordenação da Gerência de Políticas para a Juventude.

 

O primeiro encontro aconteceu no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS I), localizado no Bairro Centro América. A Caravana prosseguirá nas demais unidades dos CRAS implantados no município, inclusive na área rural, beneficiando as regiões de Albuquerque, assentamentos Tamarineiro e São Gabriel, e o CRAS Itinerante em Porto Esperança.

 

A Caravana conta com cerca 450 jovens inscritos que vão participar de oficinas de grafite, skate e de b-boys. Segundo o gerente de Políticas para a Juventude, Jonathan França, além das atividades práticas oferecidas aos jovens, “os encontros realizados pela Caravana também contam com palestras educativas e os instrutores buscam um diálogo com os jovens sobre uma vivência sadia do ser jovem”.

 

A secretária Municipal de Assistência Social e Cidadania, Mabel  Aguilar, reforçou que a Caravana tem como público alvo os jovens  que participam do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) nos CRAS, a fim de complementar o trabalho social com as famílias e prevenir a ocorrência de situações de risco social de acordo com o seu ciclo de vida. “Neste caso a arte, a cultura e o lazer são as ferramentas utilizadas que possibilitam valorizar a pluralidade e singularidade da condição juvenil”, explicou.

 

A I Caravana da Juventude tem como principal objetivo atender às demandas juvenis na área urbana e rural do município, por meio de serviços, atividades, oficinas e palestras e terá uma duração de três meses.

 

O subsecretário da pasta, Nilo Correa, informa que “os jovens interessados em participar, poderão usufruir das vagas restantes efetuando a inscrição no CRAS mais próximo da sua residência”. Para tanto, explica ele, devem estar munidos dos documentos pessoais e número do NIS. “No caso dos menores de dezoito anos, existe a necessidade do preenchimento de ficha com a autorização dos responsáveis legais”, completou.