Transporte coletivo: preço da tarifa fica congelado por tempo indeterminado

Conforme estabelece o contrato de concessão firmado entre a Prefeitura e a empresa Viação Cidade Corumbá, o preço da tarifa do transporte coletivo deveria ter sido reajustado em março deste ano. Mas em função do atual cenário econômico nacional, o prefeito Paulo Duarte e o gerente da VCC, Youssef Younes, concordaram em congelar o valor por tempo indeterminado.

 

“Sabemos que nesses últimos meses, todos os insumos relacionados ao transporte coletivo aumentaram de preço. Mesmo assim, após muito diálogo, conseguimos que esse aumento não seja repassado ao usuário. Ou seja, o valor será mantido em R$ 2,80 por tempo indeterminado”, afirmou o prefeito, que se reuniu com o representante da VCC nesta quinta-feira, 19 de maio.

 

“Isso representa um importante alívio financeiro para todas as pessoas que precisam do transporte coletivo, além de ser um incentivo para que mais gente passe a utilizar esse serviço, que hoje é de ótima qualidade, bem diferente de alguns anos atrás”, complementou o prefeito de Corumbá.

 

De acordo com o gerente da VCC, hoje a cidade tem uma das tarifas mais baixas de todo o Mato Grosso do Sul. “Só como exemplo, a distância entre o terminal e o Guanã é bem maior que a de Corumbá-Ladário. Mesmo assim nosso preço é de R$ 2,80 contra os R$ 3,50 cobrados atualmente pela empresa intermunicipal”, detalhou.

 

“Todos os nossos ônibus são novos e passam por manutenção constante, com profissionais especializados. Nesta semana mesmo estamos com uma equipe do SEST SENAT analisando os poluentes que saem dos veículos. Fazemos isso para diminuir cada vez mais essa emissão de gases, pois estamos no coração do Pantanal, um ambiente incrível e único no mundo”, complementou Youssef.

 

Ainda segundo o empresário, só o óleo diesel teve um reajuste de 20% de setembro de 2015 para cá. “O preço das peças e dos pneus também subiram, motivos para que reajustássemos o preço da passagem, conforme prevê nosso contrato. Mas a pedido do prefeito Paulo e em solidariedade à família corumbaense e nossos clientes, não faremos isso neste momento”, completou Younes.

 

O diretor-presidente da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat), Alexandre do Carmo Taques Vasconcelos, também participou da reunião e reiterou que a fiscalização continuará sendo realizada constantemente pelos agentes de trânsito. “A empresa concessionária tem o compromisso de cumprir os horários estipulados, sem atraso, e assim continuará sendo feito”, concluiu.