Entre romantismo e nostalgia, Gilliard antecipou show de 35 anos de carreira em Corumbá

Realizada pela Prefeitura Municipal de Corumbá, a Noite da Seresta em homenagem ao Mês das Mães, teve de sobra o sentimento que mais representa essa importante figura: o amor. Reconhecidamente em todo território nacional por ser um intérprete de canções românticas, Gilliard despertou também com o repertório repleto de sucesso de sua carreira, que completa 35 anos em dezembro deste ano, muita nostalgia.

 

O reencontro do artista com o público de Corumbá durou quase duas horas de um show que trouxe ainda canções de grandes nomes da música brasileira como Gonzaguinha, Cartola, Jessé e as duplas sertanejas Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano, entre outras.

 

A interação de Gilliard com a plateia fez com que muitas pessoas dispensassem as cadeiras e fossem ficar pertinho do artista, junto ao palco, de onde cantaram as músicas do intérprete e compositor natural de Natal e que vendeu mais de 10 milhões de discos nesses quase 35 anos de trajetória artística.

 

“Fico feliz porque eu aprendi com o tempo que com a música a gente pode interagir. Ela é uma cura, uma terapia fantástica, uma forma perfeita de se comunicar. Nesses 35 anos de carreira que vou fazer em dezembro, eu pude aprender isso na minha interação com o público, então me gratifica muito. É a prova de que o amor, a mensagem que a gente traz vai estar sempre permanente”, disse Gilliard sobre o carinho do público.

 

Corumbá foi uma das cidades que teve o gostinho de conhecer antecipadamente parte do que o cantor irá registrar num DVD em comemoração a sua longa e vitoriosa carreira. Histórias de composições que marcam a vida de muitos foram reveladas como “Aquela Nuvem” que, segundo Gilliard, foi composta em 20 minutos durante a travessia da balsa que liga as cidades do Rio de Janeiro e Niterói.

 

Ele revelou que quando, ainda tentando alçar um lugar no mercado artístico, teve uma epifania sobre o Criador, surgindo assim um dos refrões mais conhecidos da MPB: “Aquela nuvem que passa lá em cima sou eu /Aquele barco que vai mar afora sou eu /Aquela folha que vaga pelas ruas sou eu /Buscando você”.

 

“São coisas que eu só quis contar depois desse mais de 30 anos de carreira”, confidenciou Gilliard que dando continuidade a sua carreira de sucesso apresentou ao público corumbanese seu novo trabalho intitulado “Folha ao Vento” que traz a assinatura de César Augusto na produção.

 

Acompanhado da primeira-dama e diretora-presidente da Fundação de Desenvolvimento Histórico e Patrimônio Histórico, Maria Clara Scardini, o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte acompanhou o show e falou sobre o carisma e o talento de Gilliard, destacando que não haveria nome melhor para a ocasião.

 

“Esse cara tem uma história incrível de sucesso, mas mantem-se com a essência que toda artista deve ter: a vontade de estar de coração com seu público. Com músicas que falam de amor, tenho certeza que muitos casais começaram suas vidas ao som de Gilliard”, disse Duarte.

 

Gilliard ainda mostrou ao público de Corumbá que o talento para música pode ser herdado e, junto ao filho, Sylvio Marinho, apresentou algumas canções, porém escolheu para encerrar seu show uma das mais lúdicas e animadas de seu reperório, a Festa dos Insetos, que traz no refrão: “Torce, retorce, procuro mas não vejo/Não sei se era pulga ou se era o percevejo”.

 

A Noite da Seresta ainda foi uma oportunidade para que talentos locais animassem a plateia. Wender Silva, Raão Terra e Carlito Show abriram o palco com boleros, cumbias e chamamés que colocou todos para dançarem desde a primeira canção.