Corumbá é a primeira do MS a realizar a 6ª Conferência Municipal das Cidades

Com o tema “A Função Social da Cidade e da Propriedade – Cidades Inclusivas, Participativas e Socialmente Justas”, começou nessa terça-feira, 12 de abril, a 6ª Conferência da Cidade de Corumbá, promovida pela Prefeitura, por meio da Fundação de Desenvolvimento Urbano e Patrimônio Histórico (FUPHAN), e o Conselho Municipal da Cidade.

 

O evento, que foi aberto no Auditório Salomão Baruki, continua nesta quarta-feira, quando os grupos de debate vão elaborar, apresentar e votar as propostas e os delegados que representarão a cidade na Conferência Estadual. “Queremos representatividade, participação, e essa 6ª Conferência tem muito disso”, afirmou o prefeito Paulo Duarte.

 

“A gente vive hoje um momento no País em que há uma cobrança muito grande, mas a participação precisa ir além do que estamos vendo. Além de cobrar, que é um direito de todo cidadão e cidadã, queremos cada vez mais que haja uma participação efetiva. Estamos na 6ª Conferência da Cidade, onde vamos discutir a finalização do Plano de Mobilidade Urbana, ou seja, estamos aqui justamente perguntando a população que cidade nós, vocês, Corumbá quer daqui a 5, 10 e 15 anos”, disse o prefeito durante a abertura do evento.

 

Parabenizando a participação da população, que ocupou boa parte do anfiteatro, a diretora-presidente da FUPHAN, Maria Clara Scardini, destacou os avanços conquistados na cidade de 2013 para cá. “Queria dizer, até porque o tema da 5ª Conferência, também realizada pela nossa equipe, foi mobilidade e, na época, o problema do transporte coletivo foi muito falado. Hoje, olhando um pouco parta trás, vemos o quanto nós avançamos nas políticas públicas de desenvolvimento urbano”.

 

Segundo Maria Clara, toda cidade precisa de uma pasta que pense em seu crescimento urbano. “Hoje a gente sobre consequências seríssimas da falta de discussão sobre um bom plano e um bom planejamento, para que possamos avançar a cidade de forma democrática. E olhando os avanços do que agente fez de três anos e meio para cá, vemos ações muito positivas”.

 

A abertura da Conferência contou ainda com a audiência pública de apresentação do Plano Municipal de Mobilidade Urbana e Rural (PMOB). “Gostaria de fazer um agradecimento especial a Votorantim, que foi um grande parceiro e aportou integralmente a realização desse plano, ou seja, não teve nenhum custo aos cofres da Prefeitura”, completou a diretora-presidente da FUPHAN, agradecendo também a parceria do 6º Distrito Naval e do Campus da Pantanal da UFMS.

 

Representando o Conselho Estadual das Cidades, Tânia Marques elogiou o trabalho da Prefeitura e grande participação popular no evento. “Estou muito feliz de estar aqui e ouvir da diretora-presidente da Fuphan todo esse trabalho, pois o Conselho Estadual das Cidades visa justamente isso: plano diretor, de acessibilidade, habitação digna e tudo aquilo que possa beneficiara população de Corumbá. Quero ainda parabenizar vocês presentes, que deixaram o conforto de suas casas para participar dessa Conferência”.

 

“Vocês hoje estão participando da nova diretriz da sua cidade, do Estado e do País, pois a 6ª Conferencia foi proposta pelo Ministério das Cidades e Conselho Nacional das Cidades e visa justamente isso, trazer a comunidade para participar das decisões de seu município, aproximar a comunidade da administração municipal e, principalmente, para vir opinar sobre aquilo que estão precisando”, prosseguiu.

 

“E mais uma vez Corumbá está na frente, pois é a primeira cidade do Estado que está realizando a Conferência Municipal. Parabéns pra vocês. Desejamos que saiam excelentes propostas aqui de Corumbá”, finalizou Tânia Maria.

 

Coordenador da área de mineração da Votorantim, Leonardo dos Reis destacou o papel da empresa no desenvolvimento da cidade e a participação efetiva nas ações que envolvem a comunidade. “Com 63 anos de operação na cidade, a fabrica da Votorantim cimentos marcou o início da industrialização em Mato Grosso do Sul. Ainda é uma importante fonte de geração de renda para o município e Estado, numa parceria que vem se consolidando ao longo de todos esses anos”, comentou.

 

Ele ressaltou também que a maioria dos funcionários e fornecedores são da comunidade local e a produção de cimento da marca Itaú, produzido aqui, atende todo o mercado local e estadual. Sobre o PMBOB, que foi financiado pela Votorantim, Leonardo apontou o comprometimento da Prefeitura e das Secretarias municipais nesse importante trabalho.

 

“Essa parceria, aliada a um plano de excelente qualidade desenvolvido pela Risco Arquitetura Urbana, não deixa dúvida que essa etapa até agora foi um sucesso. A participação da Marinha, da UFMS e da comunidade em geral só ratifica para gente a apostas que a empresa fez que esse ano seria um sucesso e está sendo. Esse plano é apartidário, é para a cidade, que não vai acabar daqui a quatro anos, isso vai passar pelos próximos 15 anos, independente de quem esteja a frente do município”, finalizou.