Síndrome de Down é tema de debate durante seminário em Corumbá

O Dia Internacional da Síndrome de Down é celebrado hoje, segunda-feira, 21 de março, e para lembrar a data, Corumbá realizou no último sábado, 19, o 1º Seminário Pantaneiro sobre a Síndrome de Down, idealizado pelo Instituto das Pessoas com Síndrome de Down do Pantanal (Pesdpan). O evento aconteceu no auditório da Unidade III da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Campus Pantanal, e contou com a presença do prefeito Paulo Duarte.

 

O seminário teve como finalidade, massificar a busca de pessoas com Síndrome de Down, familiares e amigos. O encontro foi aberto pela fundadora do Instituto, Viviane Ametlla que agradeceu a presença dos participantes que tiveram a oportunidade de debater um tema importante, visando o desenvolvimento de tecnologia alternativas, produção e divulgação de informação, conhecimento técnicos e científicos que digam respeito às atividades propostas, e ainda ajudar na promoção de direitos estabelecidos, assim como na construção de novos direitos.

 

“Nós nascemos com esse objetivo. Nós somos um Instituto constituído por famílias que tem pessoas com Síndrome de Down, por profissionais que trabalham, para buscarmos melhorar a qualidade de vida, integração social, conquistas de autonomia e cidadania para todos os participantes”, disse Viviane.

 

Ela explicou que para atingir os objetivos, são promovidas rodas de conversas para troca de experiências, “melhorando o desenvolvimento dos nossos filhos, além da questão do preconceito, da inclusão que não deveria ser debatida porque nós estamos inclusos na carta magma. O Instituo nasceu dessa necessidade e assim vamos nos fortalecendo com o apoio de todos”, completou.

 

Durante a abertura o prefeito Paulo Duarte fez um relato de um caso ocorrido na família. “Eu tenho uma experiência familiar sobre o que é a falta de estimulação precoce: minha irmã, hoje tem 50 anos. Minha mãe, na gravidez, teve rubéola e a minha irmã nasceu com uma deficiência visual, nasceu cega de um olho e ouve parcialmente. Se hoje aqui em Corumbá já temos dificuldades, imaginem na década de 70. Faltou isso a ela”, lembrou.

 

Citou que sua irã hoje tem uma vida normal, mas que “poderia estar melhor, faltou essa estimulação precoce porque não havia informação sobre isso e ainda havia certo preconceito”, contou. “Hoje ela tem uma vida feliz, é casada com uma pessoa com o mesmo problema, e tem um filho que este ano está se formando em direito, e é uma pessoa extraordinária”, disse emocionado.

 

Paulo ressaltou que são necessários profissionais atuantes, profissionais nas áreas de educação física, fisioterapia, pedagogia, importantes “para que a gente fortaleça cada vez mais esse processo”, pregou, lembrando que escolas da Rede Municipal já estão adaptadas para receber alunos com alguma deficiência.

 

“Eu tenho aprendido muito vendo uma sociedade que ainda é preconceituosa. Nós temos escolas na nossa rede de ensino preparadas para atender essas pessoas, e temos um exemplo na escola Izabel Correa, o Leanderson. Ele tem apoio dos colegas que estão todos ali ajudando, tratando com naturalidade. Por isso eu tenho esperança que no futuro, as pessoas tratem todos com naturalidade e igualdade”, completou.

 

A secretaria de Educação, Roseane Limoeiro, também participou do evento e destacou o compromisso com a inclusão. “tanto que temos dentro de nosso Plano Municipal de Educação, as metas referentes à inclusão, praticamente todas elas em avanço, todas sendo cumpridas”, citou, destacando a participação das famílias no processo.

 

O seminário contou com palestras sobre “Educação especial em uma perspectiva inclusiva na rede municipal de ensino de Corumbá”; “Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência – Estatuto”, ambas seguidas de debate e sobre “A Importância da Hora da Notícia”. Já no período da tarde aconteceu uma mesa redonda sobre o tema “A importância estimulação precoce, no desenvolvimento das pessoas com Síndrome de Down”.

 

Pesdpan

 

O Instituto Pesdpan foi fundado em 08 de novembro de 2015. É uma associação sem fins lucrativos, pertinente às pessoas com Síndrome de Down, familiares, profissionais, amigos e interessados, pessoas que buscam os mesmos objetivos e finalidades, interessadas por uma causa comum, de melhorar a qualidade de vida e proporcionar maiores oportunidades para as pessoas com Síndrome de Down; além de procurar a promoção de valores éticos, da paz, cidadania, dos direitos humanos, da democracia, entre outros valores universais, com a finalidade de contribuir ativamente na transformação por um mundo melhor.