Prefeitura inicia recuperação da Theodomiro Serra, no bairro Popular Velha

A Prefeitura de Corumbá já está recuperando a Theodomiro Serra, uma das principais vias do Bairro Popular Velha, parte alta de Corumbá. Os serviços começaram na segunda-feira, 28, e fazem parte do programa de recuperação do pavimento da área urbana do Município, cujas vias foram bastante castigadas pelas intensas chuvas que caíram na cidade em dezembro, janeiro e fevereiro, principalmente, bem como pelas próprias condições do pavimento, já deteriorado pelo tempo e com vida útil vencida.

 

Na Rua Theodomiro Serra, seguindo determinação do prefeito Paulo Duarte, o trabalho será idêntico ao realizado na Minas Gerais, no Cristo Redentor, que recebeu uma nova capa asfáltica (reperfilamento), nos trechos entre as ruas Cáceres e 15 de Novembro, um total de oito quadras.

 

“O serviço está sendo executado por uma das três equipes que está atuando na recuperação do pavimento das ruas da cidade. Na Theodomiro Serra vamos implantar uma nova capa asfáltico, um material mais resistente, o Concreto Betuminoso Usinado a Quente, o que aumenta a vida útil do pavimento”, disse o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Gerson da Costa Melo.

 

A intervenção ocorrerá em sete quadras da via mais movimentada da Popular Velha, entre a Geraldino Martins de Barros e 15 de Novembro. Em alguns trechos serão necessárias intervenções inclusive na base, como aconteceu no trecho entre a Geraldino de Barros e Tenente Melquíades de Jesus.

 

O início da recuperação do pavimento da Theodomiro Serra está sendo bastante comentado no bairro. Luiz Marcio Franco, comerciante, citou que não há condições de trafegar por aquela rua sem correr risco de acidente. Lembrou uma jovem que sofreu uma queda de bicicleta logo à sua frente, enquanto dirigia seu veículo, e se não estivesse atento, poderia atropelá-la.

 

“Agora vai melhorar bastante. Esta rua precisava ser recuperada”, comentou. Fez uma ressalva: “vai ficar bom, mas é preciso proibir estas carretas de passar por aqui. Elas acabam com o asfalto”, citou, lembrando que a maioria dos veículos pesados que trafegam na via são bolivianos, carregados com cimento.